Projeto Mate Brasil inicia pelo Polo Ervateiro do Alto Uruguai

A analista de campo na Fundação Solidaridad, Jéssica Tomasi, apresentou para a Emater/RS- Ascar o “Projeto Mate Brasil”, em reunião realizada na sede do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, na sexta-feira (06/12). Ela esteve reunida com os engenheiros agrônomos e extensionistas rurais dos Escritórios Regionais de Passo Fundo, Ilvandro Barreto de Melo, e de Erechim, Luiz Angelo Poletto.

A fundação é uma organização que atua em diversos países desenvolvendo cadeias produtivas como algodão, cacau, cana de açúcar, laranja entre outras. Neste ano inicia suas atividades com a erva-mate, por uma demanda específica da Coca-Cola. O Projeto Mate Brasil será desenvolvido em modelo piloto no Polo Ervateiro do Alto Uruguai. De acordo com Jessica Tomasi, posteriormente a essa fase piloto, o projeto poderá ser estendido aos outros quatro polos ervateiros do Estado.

As ações do Projeto Mate Brasil iniciam na região do Alto Uruguai em 2020, com foco voltado para práticas ambientais e produtivas, gestão da propriedade e mão de obra. O projeto inicialmente envolve 120 produtores que já entregam matéria-prima destinada à produção de Chá Mate Leão. Segundo Poletto, na região do Alto Uruguai são quatro indústrias (uma de Erval Grande e três de Áurea) que já fornecem matéria-prima para a Coca-Cola. Serão realizadas capacitações técnicas e acompanhamento baseado nos princípios da agricultura sustentável.

Durante a reunião, também foi exposto para a representante da Fundação o “Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-Mate”, cujas ações vêm sendo executadas pela Emater/RS-Ascar, conveniada com a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), com a cooperação de entidades da cadeia produtiva ervateira. No encontro também foi proposta uma ação de parceria entre o Programa Gaúcho para a Qualidade e Valorização da Erva-Mate e o Projeto Mate Brasil. Segundo Ilvandro de Melo, a intenção de parceria no projeto, confirmadas as agendas, será apresentada às demais instituições da cadeia produtiva ervateira como Sindimate/RS, Ibramate, Câmaras Setoriais Estadual e Nacional e associações de produtores dos polos ervateiros do Rio Grande do Sul, bem como para a Embrapa Florestas, que também é parceira dessas ações.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais