Novena de Fátima salienta que a vida eterna depende do cuidado com a vida presente

O cuidado com a vida foi o destaque da noite do quinto dia da novena de Fátima, nesta terça-feira, Dia Nacional do Nascituro, com a participação especial de pessoas que atuam em casas de saúde, especialmente os Hospitais Santa Teresinha, Caridade, Unimed e Santa Mônica e Centro de Apoio Oncológico Luciano (CAOL), pastoral da saúde e outras entidades. O enfoque do dia era “Com Maria, os que cuidam da vida enviados em missão”.

O terço e a missa foram presididos pelo Pe. Anderson Faenello, Pároco da Paróquia São Cristóvão e concelebrada pelo Pe. Edegar Passaglia, Vigário Paroquial da mesma Paróquia, pelo Pe. Valter Girelli, do Seminário de Fátima, e Pe. André Lopes, Pároco da Paróquia da Salette, Bairro Três Vendas, Erechim.

Grupo do Hospital Santa Teresinha encenou o Evangelho que narrava a parábola do Bom Samaritano, pela qual Jesus respondeu ao doutor da lei que lhe perguntou qual o maior mandamento e quem era seu próximo.

Após a homilia, para expressar o cuidado com a vida, representantes foram distribuídas mudas de árvores para algumas pessoas.

Pe. Anderson desenvolveu sua homilia partindo da pergunta do doutor da lei a Jesus sobre o que fazer para possuir a vida eterna, preocupação não muito presente atualmente, pois facilmente se pensa no momento presente. A resposta de Jesus ao especialista em leis enfatiza que a vida eterna passa pelo amor. O amor que vem de Deus e que tem sua expressão máxima na cruz redentora de Cristo. Neste amor é possível fazer como o samaritano, que é o próprio Cristo, ver a situação do irmão ferido pela violência pela exclusão social, aproximar-se, ter compaixão e fazer o que é possível para socorrê-lo. É esta atitude que leva a superar a criminalidade que faz tantas vítimas, pois não se pode superar a violência com mais violência, com arsenais, com portes de armas, como querem muitos, mas sim, com gestos opostos, de cuidado, de compaixão, de misericórdia, de dignidade. Considerando a descrição do gesto do samaritano com o ferido, Pe. Anderson relacionou dez palavras, como dez são os mandamentos da Lei de Deus na Sagrada Escritura: (1) chegou junto dele, (2) viu-o (3) e moveu-se de compaixão. (4) Aproximou-se, (5) cuidou de suas feridas, (6) derramando óleo e vinho, depois (7) colocou-o em seu próprio animal, (8) conduziu-o à hospedaria, (9) dispensou-lhe cuidados e (10) pagou a hospedagem. Segundo Pe. Anderson, tudo parte de olhos sensíveis e coração compadecido que sabem ver a situação do necessitado e assumir o cuidado da vida do irmão. O samaritano olhou para onde Deus olha. Por isso viu, sentiu e cuidou. Onde está o olhar de Cristo aí deve estar o olhar do cristão.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais