Novena de Fátima salienta que a vida eterna depende do cuidado com a vida presente

O cuidado com a vida foi o destaque da noite do quinto dia da novena de Fátima, nesta terça-feira, Dia Nacional do Nascituro, com a participação especial de pessoas que atuam em casas de saúde, especialmente os Hospitais Santa Teresinha, Caridade, Unimed e Santa Mônica e Centro de Apoio Oncológico Luciano (CAOL), pastoral da saúde e outras entidades. O enfoque do dia era “Com Maria, os que cuidam da vida enviados em missão”.

O terço e a missa foram presididos pelo Pe. Anderson Faenello, Pároco da Paróquia São Cristóvão e concelebrada pelo Pe. Edegar Passaglia, Vigário Paroquial da mesma Paróquia, pelo Pe. Valter Girelli, do Seminário de Fátima, e Pe. André Lopes, Pároco da Paróquia da Salette, Bairro Três Vendas, Erechim.

Grupo do Hospital Santa Teresinha encenou o Evangelho que narrava a parábola do Bom Samaritano, pela qual Jesus respondeu ao doutor da lei que lhe perguntou qual o maior mandamento e quem era seu próximo.

Após a homilia, para expressar o cuidado com a vida, representantes foram distribuídas mudas de árvores para algumas pessoas.

Pe. Anderson desenvolveu sua homilia partindo da pergunta do doutor da lei a Jesus sobre o que fazer para possuir a vida eterna, preocupação não muito presente atualmente, pois facilmente se pensa no momento presente. A resposta de Jesus ao especialista em leis enfatiza que a vida eterna passa pelo amor. O amor que vem de Deus e que tem sua expressão máxima na cruz redentora de Cristo. Neste amor é possível fazer como o samaritano, que é o próprio Cristo, ver a situação do irmão ferido pela violência pela exclusão social, aproximar-se, ter compaixão e fazer o que é possível para socorrê-lo. É esta atitude que leva a superar a criminalidade que faz tantas vítimas, pois não se pode superar a violência com mais violência, com arsenais, com portes de armas, como querem muitos, mas sim, com gestos opostos, de cuidado, de compaixão, de misericórdia, de dignidade. Considerando a descrição do gesto do samaritano com o ferido, Pe. Anderson relacionou dez palavras, como dez são os mandamentos da Lei de Deus na Sagrada Escritura: (1) chegou junto dele, (2) viu-o (3) e moveu-se de compaixão. (4) Aproximou-se, (5) cuidou de suas feridas, (6) derramando óleo e vinho, depois (7) colocou-o em seu próprio animal, (8) conduziu-o à hospedaria, (9) dispensou-lhe cuidados e (10) pagou a hospedagem. Segundo Pe. Anderson, tudo parte de olhos sensíveis e coração compadecido que sabem ver a situação do necessitado e assumir o cuidado da vida do irmão. O samaritano olhou para onde Deus olha. Por isso viu, sentiu e cuidou. Onde está o olhar de Cristo aí deve estar o olhar do cristão.

Comentários estão fechados.