Jovens do curso de Empreendedorismo visitam propriedades na região

Jovens do curso de Empreendedorismo e Desenvolvimento para a Juventude Rural, promovido pela Emater/RS-Ascar, visitaram propriedades rurais nos municípios de Barra do Rio Azul e Campinas do Sul, nesta quarta e quinta-feira (07 e 08/08). A atividade integra a programação do 4º modulo do curso, que teve início na segunda (06/08) e encerrou nesta quinta-feira (08/08), no Centro de Treinamento para Agricultores (Cetre), em Erechim. Participam do curso jovens de sete municípios da região do Alto Uruguai que optaram em permanecer no campo. Além das visitas, neste modulo foram tratados temas como gênero, potencial da propriedade e aptidão do jovem, bovinocultura de leite, cooperativismo, avicultura, suinocultura, entre outras atividades interativas.

Nas propriedades visitadas, eles receberam informações das atividades. Em Campinas do Sul, o grupo visitou propriedades das famílias Bertella e Strapasson. Na Granja Bertella, Giovani, de 46 anos, e o filho Felipe, de 27 anos, relataram as experiências com as atividades de suinocultura, avicultura e o cultivo de lavouras, sendo uma propriedade exemplo de empreendedorismo. No aviário, são alojados 170 mil frangos. Nas instalações e infraestrutura foram investidos R$ 4 milhões. Na granja os trabalhos são realizados por dois casais e em toda a propriedade a mão de obra envolve 11 pessoas. A atividade conta com sistema informatizado, com tecnologia empregada no controle alimentício e nutricional dos frangos. Já na suinocultura, são alojados 5 mil animais em seis galpões. Segundo a família, mais R$ 500 mil estão sendo investidos para instalação de um biodigestor. “Com potencial e dedicação, a atividade é rentável”, disse o produtor.

Os jovens receberam informações sobre infraestrutura, investimentos, custos, produção, rendimentos e uso de tecnologias. O pai conta que o filho Felipe, formado em aviação, optou por voltar a propriedade, garantindo assim, junto com uma irmã, a sucessão familiar. Giovani e a esposa Adriane, juntamente com o filho Felipe, e os empregados conduzem os trabalhos. Giovani destacou a importância de relatar a experiência da família e desejou sucesso aos jovens ao enfrentar os desafios.

Na outra propriedade, o casal Airton e Marli Strapasson recebeu o grupo. Eles relataram as atividades da propriedade, principalmente com a avicultura de postura, e contaram que os dois filhos, um formado em agronomia, trabalham fora. A avicultura foi por longo anos a principal atividade da propriedade, mas hoje voltaram-se para a produção de grãos, principalmente soja e milho. “O negócio tem que se pagar, de preferência, a curso prazo”, disse. Eles iniciaram com 400 frangos, passaram para 1.600 e hoje alojam 300 aves. A produção de 20 dúzias por dia é comercializada no próprio município de Campinas do Sul. Airton e Marli contaram sobre custos, produção, investimentos, comercialização, rendimento econômico e nos demais processos na condução da avicultura de postura. Da área total de 80 hectares, 18 hectares são destinados à propriedade e o restante para o cultivo das lavouras.

Na avaliação da aluna Silvia Kanigoski, de 17 anos, do município de Viadutos, cuja propriedade é voltada para atividade leiteira, o curso é muito importante para “obter mais conhecimento e pensar o que queremos da vida e dá coragem para incentivar os nossos sonhos”. Também destacou a importância das visitas às propriedades e da continuidade do curso para que outros jovens possam também ser capacitados. “Os jovens estão retornando para o campo, por isso é importante este conhecimento”, avaliou.

O curso e as visitas também foram avaliados como positivas pelo jovem Robson Luis Fabian, 26 anos, de Erechim. “Achei o curso interessante e proveitoso para os jovens que muitas vezes têm dúvidas. As propriedades que vistamos são exemplos de sucesso”, observou. Segundo ele, a intenção é investir em uma agroindústria voltada à produção de pães e biscoitos em Erechim.

O grupo de alunos esteve acompanhado pela assistente técnica estadual de Juventude Rural, Clarice Böck, por Vilmar Fruscalso, um dos instrutores do curso, pela assistente técnica regional rural social, Nádia da Rosa, pelo coordenador estadual dos Centros de Treinamento da Emater/RS-Ascar, José Enoir Daniel, pelo coordenador do Cetre, Jorge Silvano Silveira, e pelo técnico do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Campinas do Sul, Carlos Carraro.

O curso iniciou em abril com o primeiro módulo, quando os alunos estiveram acompanhados de seus pais, e será realizado em seis módulos, que seguem até dezembro deste ano. Cada modulo tem duração de três dias. O conteúdo teórico e prático, com visitas e excursão, está sendo repassado por extensionistas de diversas áreas da Instituição. Ao fim do curso, a proposta para os alunos é a elaboração de um projeto produtivo a ser realizado em suas propriedades.

Comentários estão fechados.