Emater realiza capacitação em nogueira-pecã para produtores do Alto Uruguai

Visando qualificar técnicos e produtores da região do Alto Uruguai e oportunizar mais uma alternativa de renda aos produtores, bem como qualificar a produção, a Emater/RS-Ascar, através do Escritório Regional de Erechim, realizou uma capacitação voltada para o cultivo da nogueira-pecã, nesta terça e quarta-feira (06/08 e 07/08), na Cantina Trentin, em Erechim. Durante os dois dias foram ministradas palestras técnicas pelo doutor em Agronomia e professor do Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria, Diniz Fronza, pelo doutorando em Fitotecnia, Rudinei De Marco, e pelo assistente técnico regional em Sistema de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar de Erechim, Luiz Angelo Poletto. Foram repassadas orientações desde a implantação do pomar, com os cuidados necessários com o solo, passando pelo cultivo, manejo correto como poda, irrigação, controle de doenças e pragas, biologia, fitossanidade, produção, principais variedades e suas características, potencialidades, produtividade, dentre outros temas.

Segundo Poletto, a região do Alto Uruguai tem uma área de mais de 93 hectares cultivados com nogueira pecã, com uma produção, até o momento, estimada em 15 mil quilos, já que a maioria das árvores está em formação. Uma nogueira pecã demora, no mínimo, de oito a dez dez anos para ter uma produção de 1.500 quilos de noz-pecã por hectare, exemplifica. A previsão, segundo Poletto, é de que essa produção seja atingida daqui a oito anos. A atividade envolve 44 produtores na região. Para ele, ainda falta conhecimento técnico para conduzir os pomares e mais informações sobre cultivares (produtoras e polinizadoras), entre outras técnicas de cultivo. A produção de fruta já despertou interesse para futuras instalações de agroindústrias.

De Marco detalhou as especificidades e as características de algumas cultivares. Segundo ele, a noz pecã tem alternância de produção. No entanto, observou que essa alternância pode ser reduzida com manejo adequado, permitindo a luminosidade da planta, por exemplo. Também chamou atenção para fatores importantes como a nutrição da planta (aplicação de boro e zinco) e o controle de pragas e doenças. De Marco avaliou variedades de ciclos curto e tardio. A maioria das cultivares (41) inicia o ciclo em agosto, observou. Também aconselhou o uso de quebra-ventos e tutores, entre outras medidas para atender às exigências climáticas da planta. “A nogueira é exigente em água, mas não suporta solo mau drenado”, reafirmou. Segundo De Marco, as consequências do déficit hídrico são frutos pequenos e sem qualidade.

Diniz Fronza destacou dez técnicas para ter alta produtividade e rendimento financeiro. Dentre elas, estão a genética (mudas sadias), solo adequado, poda de formação, irrigação, nutrição, sanidade, polinização, qualidade dos frutos e aplicações preventivas. “A nogueira é exigente em água e aeração”, disse, ao detalhar cada técnica.

A programação da parte da manhã encerrou com a abertura do evento, com participação de diversos parceiros da Emater/RS-Ascar. Participaram o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar de Erechim, Marcos Gobbo, o secretário municipal da Agricultura e também titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Erechim, Altemir Barp, e representantes das instituições financeiras Sicredi e Cresol, do Banco do Brasil e do Banrisul, entre outros. Todos elogiaram o trabalho e destacaram a importância desta capacitação para os produtores e técnicos. Também prestigiaram o evento a Gerência do Escritório Regional de Passo Fundo, Oriberto Adami e Dartanhan Vecchi.

No segundo dia da capacitação (07/08) houve palestras e realizada uma prática na propriedade do produtor Julio Kotiarenko, localizada no KM 8 – Dourado, em Erechim.

A capacitação contou com apoio da Secretaria Municipal da Agricultura de Erechim e da equipe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Erechim.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais