Julho Amarelo alerta para as hepatites virais

A Secretaria de Saúde de Erechim, por meio da Vigilância Epidemiológica e do Serviço de Controle das Hepatites Virais, está desenvolvendo atividades  especiais que chamem a atenção para a questão das hepatites virais em todas as Unidades Básicas de Saúde  do Município (UBSs). As equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) estão engajadas no trabalho, em especial os agentes comunitários de saúde, intensificando visitas domiciliares e orientando sobre essas doenças.

Nas  UBS’s a realização dos testes rápidos e a atualização do esquema vacinal para hepatite B estão recebendo reforço, assim como a realização de palestras sobre o tema que também têm o objetivo de alertar e previnir as hepatites virais. As próximas palestras agendadas serão na UBS Progresso, no dia 11 às 14h; na UBS Presidente Vargas, no dia 26 às 13h30 e na Secretaria de Saúde, no dia 30 às 14h.

As  hepatites infecciosas ou hepatites virais constituem-se em um grupo de doenças causadas por diferentes vírus,  de grande importância na  saúde pública no Brasil e no mundo.    Do ponto de vista de relevância epidemiológica, os tipos que mais ocorrem no País são as A,B,C,D,E. A forma de transmissão varia de acordo com o tipo: para as hepatites A e E a transmissão é fecal- oral e tem relação com condições de saneamento básico, higiene pessoal e doméstica, qualidade da água e dos alimentos.

Os tipos B, C e D são transmitidos pelo sangue e via sexual. A transmissão pode ocorrer pelo compartilhamento de objetos contaminados como lâminas de barbear e depilar,  alicates de unhas, materiais para colocação de piercing e confecção de tatuagens, instrumentos para uso de drogas ingetáveis e inaláveis, acidentes com exposição de material biológico e procedimentos cirúrgicos, odontológicos e de hemodiálise, quando não aplicadas rigorosamente normas de biossegurança. A transmissão via transfusão de sangue e hemoderivados é rara devido à triagem obrigatória nos bancos de sangue. A transmissão vertical pode ocorrer no momento do parto.

A vacina contra a Hepatite A é aplicada aos 15 meses de idade e disponibilizada para portadores de doenças crônicas. A vacina contra hepatite B faz parte do Calendário Nacional de Vacinação e para ter eficácia deve ser realizado o esquema completo. Não existe vacina para a Hepatite C. O serviço de referência para orientação, investigação, diagnóstico,  tratamento e acompanhamento de casos de hepatites virais da Secretaria Municipal de Saúde está localizado no Setor de Vigilância em Saúde, na Rua Santo Dalbosco, 160, salas 201/202. Fone: 3522-3955.

 

Comentários estão fechados.