Missa do Crisma na Catedral de Erechim com o Arcebispo de Passo Fundo

Na quinta-feira santa ou na véspera ou mesmo em dias anteriores, Arcebispos e Bispos diocesanos presidem a chamada Missa do Crisma para a bênção dos óleos do batismo e da unção dos enfermos, a consagração do óleo para da crisma e das ordenações presbiterais e episcopais e a renovação dos compromissos de ordenação dos padres.

Como a Diocese de Erexim está em vacância episcopal, o Arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Weber, presidiu a referida missa na Catedral de Erechim, dia 08 de abril, quarta-feira da Semana Santa, às 20h, com transmissão de 7 rádios da região e possivelmente outras e do face book do Santuário.

Outro Bispo de Passo Fundo presidiu tal missa em dois anos há algum tempo pelo fato de o então Bispo Dom  Girônimo Zanandréa se encontrar hospitalizado. Neste ano, a missa teve a participação presencial de apenas alguns padres, representando os outros.

A presença solícita de Dom Rodolfo foi motivo também de reforçar a comunhão com a Província Eclesiástica de Passo Fundo, à qual pertence a Diocese de Erexim, junto com a de Frederico Westphalen e Vacaria. Fez recordar ainda que a Diocese de Erexim foi desmembrada integralmente da de Passo Fundo há quase 50 anos.

Dom Rodolfo iniciou a homilia observando que a celebração tinha a participação presencial de poucos padres, mas que muitos estavam unidos a ela pelos meios de comunicação. Assim se vive a comunhão que é mais do que a presença física. Caracterizou o momento atual como tempo particular. Um vírus invisível alterou radicalmente o ritmo da sociedade, mas também abriu portas para outras possibilidades. Levanta diversos questionamentos, a religião é essencial e qual o papel dela se a ciência é que pode dar a resposta ao problema. Porém, se fosse assim, por que ela não a está dando? Qual a missão da Igreja neste contexto? Sentimos falta das celebrações litúrgicas? E a Semana Santa como fica? Como nos sentimos como pessoas de fé? Ressaltou que os discípulos de Cristo vivem nesta realidade concreta. Depois, relacionou a situação com o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, Vida, Dom e Compromisso. Enfatizou que e o egoísmo, a criminalidade, a concentração dos bens e da renda, decorrentes da maldade humana, matam mito mais e continuamente do que o Coronavírus. Convidou a louvar a Deus por tudo de bom que se passou desde a Páscoa passada até a deste ano. Seguiu referindo-se à vida e ao ministério do padre, seu compromisso com a vida, com o anúncio dos princípios fundamentais para a vida humana, com o zelo pastoral, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e do Plano Diocesano. Concluiu lembrando que a missão da Igreja é o anuncio da Boa Nova e da esperança, que não engana e na qual fomos salvos.

No final da celebração, o Administrador Diocesano agradeceu a solicitude do Arcebispo em vir presidir a celebração e convidou o Pe. Cleocir Bonetti, coordenador da Cúria, a entregar-lhe pequeno sinal de gratidão. Pe. Dirceu Balestrin, coordenador da Pastoral Presbiteral, dirigiu saudação a todos os padres. Pe. Alvise Follador, Pároco da Catedral, comunicou o horário das celebrações do tríduo pascal, ainda sem a participação presencial do povo, e agradeceu às rádios que transmitiram esta celebração da comunhão diocesana e ao serviço do face book do Santuário que a transmitiu em seu canal no Youtube, monitorado por Edson Luiz Rosa.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais