A ergonomia em foco

28 de abril - Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho

A palavra “Ergonomia” vem de duas palavras Gregas: “ergon” que significa trabalho, e “nomos” que significa leis. A Ergonomia está ligada diretamente a Saúde e Segurança no Trabalho, e nunca se ouviu falar tanto deste tema como nos tempos atuais. A Ergonomia esta nas Normas Regulamentadoras (NR 17) do Ministério do Trabalho desde 1978, com suas devidas atualizações.

Podemos dizer que Ergonomia é uma das partes da ciência, e esta tem por finalidade “conceber uma tarefa que se adapte ao trabalhador, e não forçar o trabalhador a adaptar-se à tarefa”.

A Ergonomia pode ser aplicada em vários sectores de atividade (ergonomia industrial (metalúrgicas, plásticos…), hospitalar, escolar, sistemas informatizados, frigoríficos, dentre outros). Em todos estes setores empresariais são possível intervenções ergonômicas para melhorar significativamente a eficiência, produtividade, segurança e saúde nos postos de trabalho. A Ergonomia atua em todas as frentes de qualquer situação de trabalho, ou até mesmo de lazer, desde os estresses físicos nas articulações, músculos, nervos, tendões, etc., até aos fatores ambientais que possam afetar a audição (ruídos), visão (iluminamento), conforto e principalmente a saúde.

Sabemos que hoje em dia uma empresa tem como um diferencial competitivo diante da concorrência a inclusão de diretrizes ergonômicas às suas estratégias. Pois além do atendimento as premissas legais, proporciona uma situação de conforto ao trabalhador, o que por sua vez aumentará a produtividade da empresa. Uma sugestão a todos os ramos empresariais, é que seja criado um programa de prevenção que pode proporcionar economia à empresa, orientar os empregados a realizarem o trabalho, amenizar sobrecargas físicas e psíquicas evitando afastamentos e perdas de produtividade, proporcionando um ambiente saudável com qualidade de vida aos seus trabalhadores.

Sobretudo não podemos deixar de frisar a importância de profissionais capacitados para tal análise e implementação, pois o futuro de sucesso aos programas dependerá do alicerce técnico e de gestão caminharem no mesmo rumo.

Dra. Carine Taís Guagnini Benedet

Fisioterapeuta do Trabalho e Ergonomista

cbergonomia@cbergonomia.com.br

Comentários estão fechados.