“Acreditamos ter condições de adotar a cogestão, migrando para uma bandeira menos restritiva”, diz Jackson Arpini

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Ficamos com uma média ponderada de 1.59, muito próxima do ponto de corte para bandeira LARANJA. Nossos Indicadores se mantiveram favoráveis nas últimas avaliações, o que depositou uma expectativa de bandeira Laranja para a próxima semana. 

Estamos desde 21/10, quando atingimos o pico dos casos ativos numa curva decrescente, num cenário mais promissor, fruto a uma séries de ações que foram adotadas regionalmente.

Saímos de 1081 casos ativos para 237, segundo o boletim regional e verificamos que nossas taxas de ocupação estão em patamares aceitáveis.

Aproximadamente 52% para leitos de UTI e em torno de 14% para leitos clínicos, portanto com margem de segurança. Também nesse contexto estamos acolhendo pacientes de outras regiões.

Mantivemos contato com o Presidente Mário Ceron e vamos realizar uma reunião EXTRAORDINÁRIA na segunda-feira, na primeira hora da manhã, para avaliar e deliberar sobra a cogestão.

Acreditamos pelos nossos indicadores que temos condições de adotar a cogestão, migrando para uma bandeira menos restritiva, mas a deliberação de bandeira vermelha não atendeu nossa expectativa.

Por Jackson Arpini/ Membro do Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.