Nova direção do Barão do Rio Branco pede desculpa a anglicanos, pais, alunos e sociedade

FAE irá oferecer curso de Estética e Cosmética e, aguarda aprovação para Psicologia

A semana começou com pedido de desculpa no programa Estúdio Boa Vista da Rádio Cultura. A entrevista que tanto desejávamos em meio às incertezas que permeavam o Instituto Barão do Rio Branco, aconteceu. Na última quinta-feira (30) a Legião da Cruz veio a público informar a comunidade erechinense que a parceria com o Grupo Company (C-INVEST) havia chegado ao fim. De imediato, também anunciou Reginaldo José Bolis, como Diretor Geral das instituições de ensino. O nome do professor e empresário, por si só acalmou a euforia e passou a despertar confiança. Na entrevista Bolis pediu desculpa. “Como membro da Legião da Cruz, que é mantenedora do Instituto Barão do Rio Branco e FAE, buscamos acertar, fazer uma pareceria que trouxesse frutos, que é o que nos foi vendido. Acreditávamos muito na parceria, mas infelizmente não deu certo e encerramos o contrato amigavelmente. Por isso, enquanto membro da Legião da Cruz, peço desculpa a sociedade, anglicanos e principalmente quem investe no instituto, pais e alunos, por termos ocasionado tamanha desestrutura na instituição”.

Há 19 anos no meio educacional

Bolis é professor da instituição há sete anos e há 19 atua no meio educacional, por longa data também foi empresário. Suas filhas estudam na escola, com isso, sempre acompanhou de perto a trajetória do Barão. É impossível falar de Erechim sem lembrar dos 89 anos de história da instituição que voltou para casa, para a igreja. “Já é possível notar um novo semblante entre as pessoas, afinal são 170 funcionários que contemplam professores e colaboradores, são eles que fazem a escola. Já com relação aos pais e alunos queremos dizer que a escola vai continuar, a situação não é das melhores, mas tudo irá se ajeitar”, assegurou Bolis.

O grande desafio do Barão

Em meio aos imprevistos, as inadimplências também cresceram e a busca é pela reorganização pedagógica, confiança dos pais, alunos e credores.  “Neste momento precisamos que os pais acreditem na escola, com o suporte da igreja. O grande desafio será reorganizar a questão pedagógica, com as transições algumas questões de gestão foram trocadas. Também estamos em busca de credores, bancos, vamos abrir nosso cenário e precisar da ajuda deles. Não é nada desesperador, mas precisamos ajustar e aos poucos os resultados serão notórios”, disse.

O momento é de esperança

Para o Reverendo Rodrigo Espiúca, o momento é de esperança e dias melhores. “A comunidade tem uma simpatia muito grande pelo Barão do Rio Branco. Não conseguimos olhar para o futuro sem reconhecer a nossa história. O Barão tem uma caminhada longa, repleta de fatos marcantes por ter feito parte da vida de tanta gente. Ficamos felizes em perceber quantos líderes de Erechim e região foram nossos alunos. Por isso tenho certeza que com a união dos pais, alunos e professores, o Barão vai reconquistar o seu espaço de relevância”, destacou.

Dias turbulentos e aprendizados

Atualmente são 131 instituições de Ensino Superior anglicanas no mundo, mas na América Latina, a única de ensino não teológico é a Faculdade Anglicana de Erechim. Dentre os fatos marcantes que envolvem a instituição, a Diretora Acadêmica, Verenice Lipsch, definiu o momento que o Barão vive: “uma continuidade com um recomeço”. Ainda comentou sobre os dias turbulentos e aprendizados. “Foram dias de turbulência para todos que estavam internamente evolvidos com a gestão e educação em si. Nós vamos resgatar aquilo de bom e positivo que tínhamos. Esse período nos trouxe o aprendizado para melhorar naquilo que por vezes estava falho, nos indagou a olhar as coisas com novos olhos. Neste período sentimos na pele o que é a família Barão, onde os funcionários expressavam o seguinte: nós não sabíamos o quanto gostávamos. Isso é o diferencial da instituição. O meio acadêmico e educacional tem esse papel, trazer o aprendizado diante das dificuldades”, afirmou.

“Colocar a instituição no lugar de onde nunca deveria ter saído”

Conforme Verenice, o Barão conta com ótimos professores desde a Educação Infantil até a Pós-Graduação, que vestem a camisa e há anos fazem parte da instituição. “O fato de voltar para o Barão e FAE, mostra a questão emocional e o compromisso social de colocar a instituição no lugar onde nunca deveria ter saído, com uma educação de qualidade, acolhedora e emancipadora diante dos desafios da sociedade. Vamos resgatar aquilo de bom e positivo que tínhamos”.

Curso de Estética e Cosmética

A instituição também contará com novidades, além dos seis cursos que a FAE já disponibiliza, o Ministério da Educação aprovou o curso de Estética e Cosmética. “O curso começará a ser divulgado na próxima campanha de vestibular. Já estamos organizados no ponto de vista pedagógico e de laboratórios para atender a demanda. Ainda, estamos em avaliação com outro curso, se der certo, até o final do ano teremos a aprovação, trata-se de Psicologia”, finalizou.

Dizem que “depois da tempestade vem a bonança” e, acredito que esse ditado popular define o novo momento do Instituto Barão do Rio Branco, que historicamente oferece educação de qualidade, resgatando princípios e valores que edificam.

Por Carla Emanuele 

Comentários estão fechados.