Professora de Nutrição da URI alerta para os cuidados de higiene dos alimentos durante a pandemia

A Anvisa e a Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam não haver evidências de contaminação pelo novo coronavírus por meio de alimentos. Entretanto, mesmo que os alimentos sejam considerados improváveis veículos de transmissão do COVID-19, algumas medidas preventivas são necessárias no combate a disseminação e todos os cuidados são totalmente válidos e práticas de higiene devem ser adotadas.Ao adquirir os alimentos no mercado, siga as recomendações do uso de máscara e respeite o distanciamento social.

Segundo a professora Cilda Picoli, do Curso de Nutrição da URI, ao chegar em casa deve-se retirar os sapatos, lavar as mãos com água e sabão, rosto e antebraço, retirar as roupas que usou na rua e, se possível, tomar banho. Ao retirar os produtos das sacolas, as embalagens utilizadas para transportar as compras devem ser descartadas ou higienizadas com álcool 70%. Também deve-se higienizar os produtos antes de guardá-los: lavar com água e sabão as embalagens laváveis (enlatados, embalagens tetra pack, garrafas pet, embalagens plásticas), passar um pano úmido e borrifar álcool 70% nas embalagens que não podem ser lavadas e deixar secar naturalmente antes de guardar os alimentos.

A professora lembra que “é importante higienizar todos os alimentos in natura (frutas, hortaliças e legumes) de forma correta para evitar a contaminação por microrganismos, tendo em vista que esses podem ser consumidos crus”. Para higienização de hortaliças, frutas e legumes, ela dá as seguintes dica:

1) Selecionar, retirando as raízes e partes deterioradas;

2) Lavar em água corrente vegetais folhosos (alface, rúcula, agrião, etc.) folha a folha, e frutas e legumes um a um;

3) Colocar de molho por 15 minutos em água clorada para desinfetar, utilizando produto adequado para este fim (ler o rótulo da embalagem), 1 colher de sopa de hipoclorito de sódio ou água sanitária para alimentos (sem alvejante) para 1 litro de água;

4) Enxaguar em água corrente vegetais folhosos folha a folha, e frutas e legumes um a um;

5) Fazer o corte dos alimentos com as mãos e utensílios bem lavados;

6) Manter sob refrigeração até a hora de servir. O vírus é sensível às temperaturas normalmente utilizadas para cozimento dos alimentos, por isso, eles devem ser bem cozidos em altas temperaturas de forma que todas as partes do alimento atinjam no mínimo a temperatura de 70°C. Para ter certeza do completo cozimento, verifique a mudança na cor e textura na parte interna do alimento. Após o alimento pronto, conservar em temperaturas seguras.

Outro detalhe importante, diz a professora Cilda: evitar falar excessivamente, rir, tossir, cantar, assoviar, bocejar, espirrar, tocar nos olhos, nariz e boca durante a atividade de preparação dos alimentos e, se o fizer, proceder à correta higienização das mãos. A lavagem frequente e correta das mãos é uma das estratégias mais efetivas para reduzir o risco de transmissão e de contaminação pelo novo coronavírus.

Por isso, diz, “lave as mãos antes de preparar os alimentos e depois de manipular alimentos crus (carnes, frangos, peixes e vegetais não lavados).

O uso do álcool gel 70% não substitui a lavagem correta das mãos, mas o produto pode e deve ser utilizado após sua execução”, complementa. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o coronavírus pode persistir por poucas horas ou vários dias, dependendo do tipo de superfície, temperatura e umidade do ambiente. Entretanto, são eliminados pela higienização ou desinfecção das superfícies pela ação de detergentes, sabões e desinfetantes, bem como pela lavagem das mãos.

Por essa razão, deve-se manter uma rotina de limpeza e desinfecção do ambiente, lembrando que as superfícies, equipamentos e utensílios que entram em contato direto com o alimento devem ser higienizados. Os utensílios usados na cozinha (talheres, facas de corte, pegadores, etc) e as superfícies de preparo (mesas, tábuas, pias), devem ser higienizados corretamente, pois podem ser fontes de contaminação. Deve-se lavar os utensílios ou superfícies com água e sabão e enxaguar em água corrente, de preferência quente.

Para desinfecção das superfícies, podem ser utilizados, por exemplo: solução de hipoclorito de sódio a 1%, ou seja, água sanitária na diluição recomendada no rótulo, álcool 70% líquido e desinfetante (seguir a orientação do rótulo). Celulares não devem ser utilizados na área de manipulação de alimentos, os mesmos devem ser limpos e higienizados, como forma de redução da disseminação do COVID-19.

Também deve-se propiciar boa ventilação, mantendo portas e janelas abertas. Ainda intensificar a higienização das maçanetas e banheiros, assim como os cuidados de higiene pessoal.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais