FETRAF cobra ações do governo do estado sobre prejuízos no campo

Estimativa é que as greves dos caminhoneiros tenham causado prejuízos de mais de R$ 50 milhões somente com o leite para a agricultura familiar

Com o objetivo de minimizar as perdas no campo devido à greve dos caminhoneiros, que nesta sexta-feira, 8 de junho, uma comitiva da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul (FETRAF-RS), esteve em uma audiência na Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).
Recebidos pelo secretário da SDR, Tarcisio Minetto e por algumas lideranças da secretaria, os representantes da FETRAF-RS entregaram uma pauta de reivindicações ao governo. Conforme o coordenador geral da FETRAF-RS, Rui Alberto Valença, a greve dos caminhoneiros causou inúmeras perdas para os produtores de leite, suínos, aves e de hortaliças. “Nossa estimativa é que foram mais de R$ 50 milhões de prejuízos somente com o leite, fora as outras cadeias que tiveram hortaliças estragando, perda de peso e de animais, sem que os alimentos fossem entregues ao seu destino. Nós entendemos que o Estado é também responsável e por isso solicitamos três ações emergenciais para que o agricultor familiar não pague sozinho a conta dos prejuízos causados pela greve”, afirmou Valença.
A FETRAF-RS solicitou anistia do pagamento de sementes obtidas por meio do programa Troca-troca de Sementes, além da destinação de crédito alimentar de R$ 10 mil as famílias agricultoras familiares e escolta para entrega de insumos, produtos e medicamentos nas propriedades.
Segundo o secretário Minetto, o governo do Estado vai analisar as possibilidades de atender as demandas.  Até o fim do mês, a FETRAF-RS também participará de uma audiência em Brasília com a Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário para tratar da mesma problemática.

 SUTRAF-AU assina contrato com a SRD

No encontro o coordenador geral do Sindicato Unificado dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai (SUTRAF-AU), Douglas Cenci, assinou um contrato com a SDR para repasse de recursos para aquisição de sementes e forrageiras de inverno. “O agricultor tem o seu custo de produção elevado devido ao preço dos insumos, principalmente do milho e da soja, então ao assinar com programa de Troca-troca de Sementes significa estimular que a agricultura familiar plante mais pasto, tenha mais produção reduzindo custos. Na próxima semana serão assinados vários contratos dos sindicatos ligados a FETRAF e o nosso agricultor terá à disposição uma semente de qualidade, com um preço acessível para poder organizar a sua propriedade”, destacou.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais