Cooperativas de Erechim disponibilizam compras online e delivery de alimentos da agricultura familiar

Com objetivo de garantir o abastecimento das famílias consumidoras e o sustento de associados em meio à pandemia da Covid-19, as cooperativas de Erechim Cooperfamília e Cooperativa Central de Comercialização da Agricultura Familiar de Economia Solidária (Cecafes) têm adotado o e-commerce, ou comércio eletrônico, como estratégia para comercializar os alimentos dos agricultores familiares associados.

As cooperativas têm buscado nas vendas digitais, alternativas para superar as dificuldades encontradas, como a suspensão da comercialização para o mercado institucional -alimentação escolar-, bem como em apostar na estratégia de comercialização em um mercado que está em ampla expansão no Brasil. Segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o faturamento do e-commerce brasileiro deve movimentar R$ 106 bilhões em 2020. A cifra representa um crescimento de 18% sobre o ano anterior. Ainda segundo a entidade, os marketplaces, as microempresas e as compras através de smartphones são os principais fatores que contribuirão para este resultado. O tíquete médio segue na faixa de R$ 310 e é estimado uma movimentação de 342 milhões de pedidos, feitos por aproximadamente 68 milhões de consumidores.

As cooperativas têm buscado nas vendas digitais alternativas para superar as dificuldades encontradas com a suspensão da comercialização para o mercado institucional (alimentação escolar), bem como em apostar na estratégia de comercialização em um mercado que está em ampla expansão no Brasil.

A comercialização pela internet (e-commerce ou por meio de mídias sociais) já se apresentava como uma nova proposta de relação com o consumidor e tendência de mercado nos últimos anos e, com o advento da Covid-19, seu potencial apresenta-se ainda maior.

Nesse cenário, a Emater/RS-Ascar por meio da Unidade de Cooperativismo de Erechim (UCP), tem fomentado e contribuído com as cooperativas da agricultura familiar no desenvolvimento e na execução de projetos de comercialização por meio de ferramentas digitais, bem como nas estratégias de delivery e de marketing digital. Nesse sentido, a UCP de Erechim, juntamente com entidades parceiras, está desenvolvendo propostas e orientando no processo de comercialização por meio de ferramentas digitais, no marketing e nos processos logísticos de entregas dos alimentos nas casas dos consumidores. Essa iniciativa vai ao encontro da proposta de comercialização online e soma-se à Feira Virtual da Agricultura Familiar (Fevaf), hotsite da Emater/RS-Ascar, parceira da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Como resultado desse trabalho, a Cooperfamília desenvolveu uma plataforma digital, intitulada “Feira Delivery”, em que o consumidor encontra os alimentos disponibilizados pela cooperativa, preenche seus dados pessoais e seleciona os alimentos que deseja adquirir. O consumidor pode optar também por

escolher dentre seis opções de cestas de alimentos, que podem tanto ser adquiridas para o próprio cliente, quanto para doação para famílias em vulnerabilidade. A divulgação da feira delivery é feita principalmente nas mídias sociais e permite uma ampla publicidade do serviço. As entregas das cestas são realizadas no perímetro urbano do município de Erechim, duas vezes por semana, nas quartas e sextas-feiras, e as encomendas devem ser efetuadas com até dois dias de antecedência. O consumidor pode ainda optar por retirar os seus alimentos na sede da Cooperfamília. A cooperativa, que conta com 468 agricultores associados, dispõe de uma diversidade de mais de 50 alimentos, como frutas, verduras, legumes, massas, embutidos e sucos, entre outros.

Para a presidente da Cooperfamília, Juraci Zanbom, o e-commerce é uma experiência nova para a cooperativa. “Executávamos em pequena escala, no entanto, em virtude da pandemia, tivemos que nos preparar e buscar inovar, criando ferramentas para otimizar o atendimento diante das novas necessidades decorrentes do isolamento social e do aumento da procura por alimentos adquiridos por meio virtual, entregues na casa dos consumidores de forma mais segura”. Zanbom observa ainda que os clientes estavam acostumados a comprar na feira e nos pontos de venda. “Percebemos que aos poucos os clientes estão se habituando a adquirir produtos por meio do e-commerce, e que a tendência será aumentar cada vez mais”, complementa.

A Cooperativa Central de Comercialização da Agricultura Familiar de Economia Solidária (Cecafes) é formada pela união de 15 cooperativas associadas e também vislumbrou no mercado digital uma oportunidade para fomentar a comercialização da produção das cooperativas e de seus agricultores familiares associados. A cooperativa, em conjunto com o Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do RS (IFRS) Campus Erechim, e com apoio da Unidade de Cooperativismo da Emater/RS-Ascar, iniciou em abril um novo desafio, abrir um canal de comercialização, oferecendo à comunidade de Erechim uma feira virtual de alimento da agricultura familiar. A cooperativa possui um sítio eletrônico, em que o consumidor se cadastra e pode formar a sua cesta de alimentos, escolhendo entre mais de 70 alimentos disponíveis, sendo frutas, verduras, legumes, massas, derivados de leite, sucos, entre outros. A cooperativa dispõe também de alimentos in natura com certificação orgânica e alimentos processados e beneficiados artesanalmente em agroindústrias familiares. As entregas são realizadas duas vezes por semana, nas terças e sextas-feiras, e o consumidor pode optar por efetuar o pagamento em dinheiro ou cartão de débito/crédito no momento da entrega.

Para Sidnei Dal’Agnol, professor do IFRS Campus Erechim, “a Feira Virtual desenvolvida junto aos nossos parceiros é um importante projeto de extensão, entendemos que a agricultura familiar precisa acompanhar as inovações de mercado. Com a feira, podemos aproximar agricultores e consumidores, gerar desenvolvimento local e regional, diminuir impactos ambientais e também valorizar quem produz”, ressalta.

O vice-presidente da Cecafes, Gilmar Ruaro, afirma que a comercialização por meio de vendas diretas é importante para viabilizar a cooperativa central e suas filiadas, bem como favorecer os agricultores familiares, já que, neste momento de pandemia, a destinação de alimentos para a alimentação escolar está

suspensa. Além disso, segundo ele, possibilita a compra de alimentos frescos direto da produção de agricultores familiares de cooperativas associadas à Cecafes. “Contribuímos para o desenvolvimento regional com abastecimento de muitas famílias erechinenses”, garante.

Márcia Racoski, cliente da Feira Virtual, comenta que “a experiência de realizar compras pela feira virtual está sendo muito boa, o site para escolha dos produtos é acessível, os preços são justos, o pessoal da entrega é gentil e realiza a entrega com segurança, usando máscaras, e os produtos entregues são de boa qualidade. Devido à praticidade e qualidade, estou comprando todas as semanas”.

Jhonatan Munaretto Imlau, da Unidade de Cooperativismo de Erechim, comenta que as duas iniciativas das cooperativas da agricultura familiar de Erechim são necessárias, pois “identificar oportunidades de comercialização, mesmo diante de momentos de dificuldades externas, torna-se fundamental para as cooperativas da agricultura familiar manterem suas atividades, cumprindo com o objetivo fundamental de beneficiar os seus associados e contribuindo para o abastecimento das famílias, em sistema de cadeias curtas. A comercialização para o mercado convencional tem sido um desafio para as cooperativas que estavam habituadas a atenderem o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), no entanto, o empenho das cooperativas e o apoio de entidades parceiras têm tornado possível atingir resultados muito satisfatórios”, complementa.

Para o engenheiro agrônomo e extensionista rural, Carlos Alberto Angonese, a aquisição de produtos locais, com origem na agricultura familiar, através dos e-commerces das cooperativas, além de facilitar a vida em tempos de pandemia, entrega muita qualidade, produtos frescos e ainda promove os ciclos econômicos curtos. “Os agricultores devolvem o dinheiro para os centros urbanos de forma rápida, gerando assim empregos e renda e promovendo o desenvolvimento local”, pondera.

As cooperativas Cecafes e a Cooperfamília são beneficiárias do Programa Mais Gestão da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), que objetiva a qualificação da gestão e acesso a mercados de 124 cooperativas da agricultura famíliar do Rio Grande do Sul, e também do Programa de Extensão Cooperativa (PEC), que prevê a introdução de melhorias técnico-gerenciais, produtivas, comerciais e educacionais, a fim de auxiliar as cooperativas a desenvolver seus recursos e potencializar o acesso a novos mercados, ambos programas executados pela Emater/RS-Ascar.

Cecafes: Feira Virtual da Agricultura Familiar http://feiravirtual.erechim.ifrs.edu.br/ Cooperfamília: 54 9 9957-5715 ; 54 2106 – 8073 ; [email protected]

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais