Cursos técnicos do Haidée: Indefinição gera angústia a comunidade erechinense

Em entrevista à Rádio Cultura na manhã desta sexta-feira (8), o coordenador pedagógico e vereador Alderi Oldra, expôs a população a angústia que a Escola Haidée Tedesco Reali vem enfrentado.

Desde o final do ano de 2017 existe um trabalho com o apoio de várias instituições para viabilizar os cursos técnicos de Eletrotécnica, Mecânica e Contabilidade. Em novembro de 2018 saiu o edital, foram realizadas as seleções e inclusive os alunos já estão matriculados, ao todo são mais de 120 estudantes para as novas turmas deste ano. Mas para a surpresa de todos, nesta semana a escola foi informada que as turmas não serão autorizadas pelo Governo do Estado.

Oldra diz que não há motivos para que não sejam liberados. “Estamos buscando agenda com o Governo do Estado para saber o que está acontecendo, foi feito um edital e seleções, não podem fechar esses cursos tão importantes e que tem tanta  procura em nossa cidade”. Até o momento, não havia sido compartilhado com os pais está situação que envolve os primeiros anos. Em reunião durante a semana foi explicado que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) não atende mais o Haidée e, os cursos serão desenvolvidos na estrutura da própria escola.

Diante dos fatos Schmidt disse que a administração municipal vem intervindo nesta situação para que seja resolvida, “estamos a três dias tentando marcar agenda com o secretário de Educação do Estado, Faisal Karam. Esses cursos são muito importantes para nossa cidade e vamos resolver a situação com ou sem este secretário”. O secretário Karam não está atendendo a solicitação de agenda para tratar do assunto em questão e isso tem causado revolta. O Prefeito buscou auxílio com o próprio governador Eduardo Leite, para que a situação seja resolvida.

Por Da Redação

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais