Cursos técnicos do Haidée: Indefinição gera angústia a comunidade erechinense

Em entrevista à Rádio Cultura na manhã desta sexta-feira (8), o coordenador pedagógico e vereador Alderi Oldra, expôs a população a angústia que a Escola Haidée Tedesco Reali vem enfrentado.

Desde o final do ano de 2017 existe um trabalho com o apoio de várias instituições para viabilizar os cursos técnicos de Eletrotécnica, Mecânica e Contabilidade. Em novembro de 2018 saiu o edital, foram realizadas as seleções e inclusive os alunos já estão matriculados, ao todo são mais de 120 estudantes para as novas turmas deste ano. Mas para a surpresa de todos, nesta semana a escola foi informada que as turmas não serão autorizadas pelo Governo do Estado.

Oldra diz que não há motivos para que não sejam liberados. “Estamos buscando agenda com o Governo do Estado para saber o que está acontecendo, foi feito um edital e seleções, não podem fechar esses cursos tão importantes e que tem tanta  procura em nossa cidade”. Até o momento, não havia sido compartilhado com os pais está situação que envolve os primeiros anos. Em reunião durante a semana foi explicado que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) não atende mais o Haidée e, os cursos serão desenvolvidos na estrutura da própria escola.

Diante dos fatos Schmidt disse que a administração municipal vem intervindo nesta situação para que seja resolvida, “estamos a três dias tentando marcar agenda com o secretário de Educação do Estado, Faisal Karam. Esses cursos são muito importantes para nossa cidade e vamos resolver a situação com ou sem este secretário”. O secretário Karam não está atendendo a solicitação de agenda para tratar do assunto em questão e isso tem causado revolta. O Prefeito buscou auxílio com o próprio governador Eduardo Leite, para que a situação seja resolvida.

Por Da Redação

Comentários estão fechados.