Em Piracema, pesca segue proibida até o dia 31 de janeiro e flagrantes podem dar prisão e multa

A Brigada Militar, através do Batalhão Ambiental de Passo Fundo, realizou recentemente uma grande operação contra pesca predatória em Ernestina, região que concentra o balneário. Na operação foram apreendidas tarrafas e outros petrechos de pesca proibidos nesta época.

Em entrevista na Uirapuru, o 1º tenente Fontana, que comanda as ações do Batalhão Ambiental, alertou sobre a Piracema, período em que a pesca é praticamente proibida até 31 de janeiro. Na Piracema é preciso não atacar os peixes para garantir a sua reprodução. A única exceção é para a pesca com linha de mão ou caniço, onde o número de peixes pescados é muito pequeno e não interfere no ecossistema.

Quem for flagrado com equipamentos de pesca predatória, como tarrafas, redes e outros, será autuado e vai responder na lei. Existem pescadores profissionais, devidamente identificados e com carteira, onde fora da Piracema podem fazer o uso de redes, por exemplo. Sem a carteira profissional existe a carteira de pescador amador, onde é possível usar molinete e carretilha, mas não tarrafa. Quem for flagrado em pesca ilegal pode ser preso de 1 a 3 anos, com multa de até R$ 3 mil.

Fonte Rádio Uirapuru

Comentários estão fechados.