Procon orienta consumidores sobre compras na Black Friday

Com a proximidade do dia de descontos, chamado de Black Friday 2017, realizado em 24 de novembro, o Procon Erechim faz um alerta aos consumidores e orienta para que possam aproveitar e se beneficiar das promoções.  

Inicialmente, os consumidores devem fazer uma pesquisa de preços dos produtos que desejam adquirir durante esta campanha, pois que em outras ocasiões já foram constatadas a manipulação dos preços.

“Mesmo com o monitoramento de valores cobrados pelos produtos, que vem sendo realizado pelos Procons de todo Brasil, maquiagens de preços podem ocorrer também neste ano. Por isso, recomenda-se evitar compras por impulso e realizar pesquisa ampla, ” recomenda o diretor do Procon Erechim, Edson Machado da Silva.

O consumidor deve adquirir apenas aquilo que realmente precisa, evitando compras por impulso que possam levar ao superendividamento. Sugere também dar prioridade para as compras à vista, mas se for preciso parcelar, que o número de vezes não seja tão longo.

Outra coisa que o consumidor deve ficar atento é que, antes do Natal, quando a demanda dos consumidores e a expectativa de vendas dos lojistas estão altas, a tendência não é a concessão de descontos e nem a liquidação dos estoques.

Confira mais dicas do Procon

Toda compra feita pela internet, o consumidor tem sete dias para se arrepender, contados da efetiva entrega do produto, independentemente do motivo. Se após comprar o produto o cliente constatar que seu preço não valeu a pena, pode se arrepender, comunicando o fornecedor, preferencialmente por carta, com aviso de recebimento. Nesse caso nenhum valor poderá ser descontado daquilo que você pagou;

Não compre produtos lançados na Black Friday. Tratando-se de produto de lançamento, você não tem meios de aferir se realmente algum desconto está sendo concedido e se ele vale a pena;

Compre apenas aquilo que você precisa e que conseguirá pagar. Em hipótese alguma contrate crédito para realizar suas compras e nunca entre no limite do cheque especial ou no crédito rotativo do cartão;

Outro item que os consumidores devem prestar atenção são em possíveis seguros e taxas embutidas nas compras a prazo, principalmente, em compras de crediário. Esse tipo de prática configura venda casada, o que é proibido pelo Código de Defesa do Consumidor.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais