O trabalho, os trabalhadores e empreendedores na novena de Fátima

Mesmo com tempo chuvoso e em dia de eleições gerais no País, expressivo número de devotos de Maria participou do terço e da missa das 14h deste domingo, último dia da Semana Nacional da Vida, promovida pela CNBB.

A celebração foi presidida pelo Pe. Valter Girelli, concelebrada pelo Pe. Giovani Momo, acompanhado pelo Diácono Almeri Bornelli, com animação do canto de seminaristas da filosofia e teologia do Seminário São José da Diocese de Erexim em Passo Fundo.

A leitura da missa falava da obra criadora de Deus e do seu descanso no sétimo dia. O Evangelho era o da parábola do senhor da vida que saiu a contratar trabalhadores em diversas horas do dia e sempre encontrou quem estava esperando oportunidade de trabalho, pagando a mesma diária para todos, tivesse trabalhado uma ou diversas horas.

Pe. Valter iniciou a homilia lembrando o Ano Nacional do Laicato e observando que leigos são todos os batizados, menos os ministros ordenados, que são a minoria absoluta. Os leigos têm a missão de Cristo em todas as realidades do mundo, economia, política, educação, comunicações, cultura, família e também na Igreja. Cada dia da novena lembra um grupo específico de leigos. Neste terceiro dia, os trabalhadores e empreendedores. O trabalho, destacou o Pe. Valter, é uma realidade bonita, mas também complexa. Na verdade, todos realizam algum tipo de trabalho. A missão do trabalho vem de Deus, que realizou a obra da criação e a confiou ao ser humano. O trabalho identifica a pessoa. Quando alguém é perguntado pelo que faz, responde que é mecânico, agricultor, professor, advogado. Feito à imagem e semelhança de Deus, pelo trabalho, o ser humano cria e recria o mundo. Por ele, deve conseguir o suficiente para suprir suas necessidades. Por isso, conforme a parábola, o senhor da vinha pagou igual diária para os que contratou, mesmo para quem trabalhou uma hora apenas. Pe. Valter concluiu exortando a todos a rezar pelos trabalhadores e pelos empreendedores de pequenas ou grandes empresas que garantem trabalho para as pessoas e invocou São José, trabalhador de Nazaré, por quem Jesus era reconhecido: filho do carpinteiro.

Comentários estão fechados.