Pastorais da Juventude do Brasil divulgam subsídio para a Semana do Estudante

De 04 a 11 deste mês de agosto, transcorre no Brasil a Semana do Estudante

A coordenação de Pastoral da Juventude da Diocese de Erexim realizará atividades relativas a ela no período de 9 a 15 deste mês.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB divulgou subsídio para as atividades da Semana da Cidadania (16 a 23 de abril) e da Semana do Estudante (04 a 11 de agosto).

O tema do subsídio é: Nossa Escola sem mordaça, Educação para a Liberdade; o lema: Liberdade, Liberdade, és o desejo que nos faz viver (Liberdade, Grupo Magis); iluminação bíblica: “Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal” (1 Pedro 2,16).

Para a Semana do Estudante, o subsídio propõe a reflexão dos seguintes eixos temáticos:

1. Educação pública, gratuita e de qualidade: direito de todas e todos;

2. Escola livre e democrática, na luta pela democracia;

3. Igualdade e justiça social: horizontes da nossa educação;

4. Movimento estudantil: protagonismo juvenil para transformar a educação.

Cada eixo oferece um texto base (fundamentação), questões geradoras para a discussão, sugestão de leituras complementares, de iluminação dos textos eclesiais, de dinâmica, de filmes e de músicas.

A introdução do subsidio diz:

No ano em que a Igreja no Brasil traz para reflexão o tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, as Pastorais da Juventude (PJ, PJMP – Pastoral da Juventude de Meio Popular, PJE – Pastoral da Juventude Estudantil e PJR – Pastoral da Juventude Rural), em unidade com a Igreja querem aprofundar, através das atividades permanentes (Semana da Cidadania e Semana do Estudante), os seguintes temas:

Semana da Cidadania: Políticas Públicas: luta e resistência pela vida das juventudes

Semana do Estudante: Nossa escola sem mordaça, educação para a liberdade

Esses temas transformados em subsídios visam ajudar os jovens a aprofundar a sua vocação na sociedade. A vocação de cada ser humano é, em primeiro lugar, de amar e promover a vida. Dessa forma as políticas públicas são um instrumento essencial para que todas e todos tenham vida em abundância.

As juventudes nos seus mais variados contextos, dentro e fora da Igreja, exercem sua cidadania na defesa de Políticas Públicas que promovam a vida.

O jovem é sujeito de direito como lembra o Papa Francisco no material preparatório para o Sínodo (Sínodo, edições CNBB 2019). No jovem encontramos a vitalidade, uma pessoa que contribui na transformação da sociedade.

Desejamos que todos os jovens possam aproveitar bem desse material para que ‘o direito e a justiça’ aconteçam em todos os cantos do Brasil.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais