Pastorais da Juventude do Brasil divulgam subsídio para a Semana do Estudante

De 04 a 11 deste mês de agosto, transcorre no Brasil a Semana do Estudante

A coordenação de Pastoral da Juventude da Diocese de Erexim realizará atividades relativas a ela no período de 9 a 15 deste mês.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB divulgou subsídio para as atividades da Semana da Cidadania (16 a 23 de abril) e da Semana do Estudante (04 a 11 de agosto).

O tema do subsídio é: Nossa Escola sem mordaça, Educação para a Liberdade; o lema: Liberdade, Liberdade, és o desejo que nos faz viver (Liberdade, Grupo Magis); iluminação bíblica: “Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal” (1 Pedro 2,16).

Para a Semana do Estudante, o subsídio propõe a reflexão dos seguintes eixos temáticos:

1. Educação pública, gratuita e de qualidade: direito de todas e todos;

2. Escola livre e democrática, na luta pela democracia;

3. Igualdade e justiça social: horizontes da nossa educação;

4. Movimento estudantil: protagonismo juvenil para transformar a educação.

Cada eixo oferece um texto base (fundamentação), questões geradoras para a discussão, sugestão de leituras complementares, de iluminação dos textos eclesiais, de dinâmica, de filmes e de músicas.

A introdução do subsidio diz:

No ano em que a Igreja no Brasil traz para reflexão o tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, as Pastorais da Juventude (PJ, PJMP – Pastoral da Juventude de Meio Popular, PJE – Pastoral da Juventude Estudantil e PJR – Pastoral da Juventude Rural), em unidade com a Igreja querem aprofundar, através das atividades permanentes (Semana da Cidadania e Semana do Estudante), os seguintes temas:

Semana da Cidadania: Políticas Públicas: luta e resistência pela vida das juventudes

Semana do Estudante: Nossa escola sem mordaça, educação para a liberdade

Esses temas transformados em subsídios visam ajudar os jovens a aprofundar a sua vocação na sociedade. A vocação de cada ser humano é, em primeiro lugar, de amar e promover a vida. Dessa forma as políticas públicas são um instrumento essencial para que todas e todos tenham vida em abundância.

As juventudes nos seus mais variados contextos, dentro e fora da Igreja, exercem sua cidadania na defesa de Políticas Públicas que promovam a vida.

O jovem é sujeito de direito como lembra o Papa Francisco no material preparatório para o Sínodo (Sínodo, edições CNBB 2019). No jovem encontramos a vitalidade, uma pessoa que contribui na transformação da sociedade.

Desejamos que todos os jovens possam aproveitar bem desse material para que ‘o direito e a justiça’ aconteçam em todos os cantos do Brasil.

Comentários estão fechados.