Erechim ocupa o segundo lugar no RS dentre os municípios com menor número de homicídios

O Prefeito Schmidt recebeu com satisfação o resultado de levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que analisou a taxa de homicídios nos municípios com mais de 100 mil habitantes. Erechim ocupa o segundo lugar no Rio Grande do Sul dentre os com menor número de mortes dessa natureza.  O Atlas da Violência analisou este quesito onde a cidade polo do Alto Uruguai aparece em 18º lugar entre as 19 pesquisadas.

Para o Prefeito providências tomadas pela atual administração municipal no sentido de coibir atos violentos contribuem para o resultado positivo do estudo que teve como base o ano de 2017. “Buscamos prestar uma assistência completa ao cidadão em todas as suas fases e âmbitos. Nos empenhamos em trabalhos de suporte psicológico, acolhimento, orientação, mantemos programas como de prevenção às drogas e escolas de tempo integral. São só exemplos de toda uma cadeia que gira em torno da questão e que a beneficia grandemente”, observa Luiz Francisco Schmidt.

As questões colocadas são endossadas por detalhes do levantamento como o que conclui que as cidades mais violentas têm o percentual quatro vezes maior que as menos violentas de jovens de 15 a 24 anos que não estudam, não trabalham e são vulneráveis à pobreza. Além das políticas públicas adotadas em Erechim que incluem abertura de novos postos de trabalho, acesso facilitado à Educação, o Projeto Sentinela com câmeras instaladas na cidade controlando sua movimentação 24 horas, é outra grande ferramenta de controle da violência.

A diferença entre os índices de desenvolvimento humano entre as mais e menos violentas é determinante. Schmidt destaca “Aqui temos Ideb que se compara com o de cidades de países desenvolvidos. Erechim atingir esta colocação no Estudo do Ipea só confirma que estamos no caminho certo”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais