Dia Internacional do Cooperativismo celebra sustentabilidade

Neste sábado, 7 de julho de 2018, cooperadores de todo o mundo – incluindo os mais de 131 mil associados na região Norte do Rio Grande do Sul – celebrarão o Dia Internacional das Cooperativas.
Com o slogan ‘Sociedades Sustentáveis através da cooperação’, a proposta da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), em sua 96ª edição, busca mostrar como, graças aos valores, princípios e estruturas de governança, as cooperativas possuem tanto sustentabilidade como resiliência e interesse social.
Para este sábado, 7, a Aliança Cooperativa Internacional incentiva os seus associados a usarem o hashtag #CoopsDay e o Guia dos Cooperadores ‘Cooperators guide’ para divulgar o evento.
“Representamos 1,2 mil milhões de cooperadores. Não há outro movimento económico, social e político no mundo que, em menos de 200 anos, tenha crescido tanto quanto nós. Mas o crescimento não é o mais importante. Nós consumimos, produzimos e usamos os recursos que o planeta nos dá, mas de forma solidária com o meio ambiente e com as comunidades. É por isso que somos um parceiro chave para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas”, afirma o Presidente da Aliança Cooperativa Internacional, Ariel Guarco.
Mas, afinal o que são sociedades sustentáveis?
Quem dá a resposta é um dos principais líderes cooperativistas do Brasil, o presidente da Ocergs/Sescoop-RS, Vergílio Perius – que esteve nesta quarta-feira, 4, participando na condição de painelista do ‘Tá na Mesa’, tradicional reunião-almoço promovida pela Federasul, em Porto Alegre.
Segundo Perius – que dividiu sua fala no evento com o presidente da Unimed Erechim e diretor do Instituto Unimed RS, Alcides Mandelli Stumpf – as sociedades sustentáveis são as que aliam os limites ambientais, sociais e económicos ao crescimento. Pela sua própria natureza, reforça Perius, as cooperativas desempenham um papel triplo:
• Como atores econômicos, criam oportunidades de emprego, meios de subsistência e geração de rendimento. Só na região de Erechim, com dados de 2015 levantados pelo Núcleo de Cooperativismo do Alto Uruguai, há 38 cooperativas cadastradas, que naquele ano geraram mais de R$ 638 milhões em faturamento, empregando 3.844 colaboradores diretos;
• Como empresas centradas nas pessoas com objetivos sociais, contribuem para a igualdade e justiça social;
• Como instituições democráticas, são controladas por seus associados, desempenhando um papel de liderança na sociedade e nas comunidades locais. Quando um relatório recente da PwC mostrou que duas em cada cinco empresas ainda ignoram ou não possuem empenhamento significativo com os ODS, as cooperativas estão a assumir a liderança. As cooperativas têm um contributo único a fazer para cumprir todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e seus alvos associados.
Tipos de cooperativas e atuação
Em 2016, a Aliança Cooperativa Internacional lançou a campanha Coops For 2030 para demonstrar o compromisso das cooperativas para com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e celebrar a contribuição destas na construção de um mundo um lugar melhor.
As cooperativas têm experiência na construção de sociedades sustentáveis e resilientes. Por exemplo, muitas cooperativas agrícolas trabalham para manter a longevidade da terra onde cultivam, por meio de práticas agrícolas sustentáveis. As cooperativas de consumo procuram cada vez mais abastecer-se com produtos sustentáveis e educam os consumidores sobre o consumo responsável. As cooperativas de habitação ajudam a garantir moradias seguras e a preços acessíveis.
Os bancos cooperativos – como a Sicredi, Unicred, Cresol e Siscoob -, contribuem para a estabilidade graças à proximidade aos clientes e proporcionam acesso ao financiamento a nível local estando disseminados mesmo em áreas remotas.
As cooperativas de serviços estão empenhadas no acesso rural à agua e à energia, exemplo da Creral – que vai além e também tem levado internet ao campo. Muitas delas estão empenhadas na liderança da transição energética para uma democracia energética.
As cooperativas sociais e de trabalho em diversos setores (saúde, comunicações, turismo, etc.) visam fornecer bens e serviços de maneira eficiente, criando empregos sustentáveis e de longo prazo – e fazem-no cada vez mais de maneira amigável para com o planeta.
“No Dia Internacional das Cooperativas, vamos mostrar ao mundo: que é possível crescer com democracia, equidade e justiça social; que as nossas sociedades não podem continuar a desperdiçar recursos e a excluir as pessoas; que devemos melhorar o presente e preservar o futuro para as próximas gerações; e que nos orgulhamos de fazer parte deste movimento. Um movimento com valores e princípios. Um movimento comprometido com a justiça social e a sustentabilidade ambiental”, afirma o presidente da ACI, Ariel Guarco.

 

Você sabia?

Há três tipos de Sociedades Cooperativas, que variam conforme a dimensão e os objetivos da organização. Conheça as formas de classificação:

 

1º GRAU – SINGULAR
Uma cooperativa para pessoas. É a regra na região Alto Uruguai. Tem o objetivo de prestar serviços diretos aos associados. É formada por, no mínimo, 20 cooperados, sendo permitida a admissão de pessoa jurídicas, desde que não operem no mesmo campo econômico da cooperativa.

2º GRAU – CENTRAL OU FEDERAÇÃO
Uma cooperativa para cooperativas. Seu objetivo é organizar em comum e em maior escala os serviços das filiadas, facilitando a utilização dos mesmos. É constituída por, no mínimo, três cooperativas singulares. A Central Aurora, com sede em Chapecó/SC e que comprou recentemente os frigoríficos da Cotrel em Erechim, é um bom exemplo.

3º GRAU – CONFEDERAÇÃO
Uma cooperativa para federações. Assim como as cooperativas de 2º grau, têm o objetivo de organizar em comum e em maior escala os serviços das filiadas. A diferença é que as confederações são formadas por, no mínimo, três cooperativas centrais ou federações de qualquer ramo.

 

Simbologia do Cooperativismo

Pinheiros: Antigamente o pinheiro era tido como um símbolo da imortalidade e da fecundidade, pela sua sobrevivência em terras menos férteis e pela facilidade na sua multiplicação. Os pinheiros unidos são mais resistentes e ressaltam a força e a capacidade de expansão.

Dia Internacional do Cooperativismo: Comemorado no primeiro sábado de julho de cada ano, foi instituído em l923 no Congresso da ACI (Aliança Cooperativa Internacional), como a confraternização de todos os povos ligados pelo cooperativismo.

Assim nasceu o símbolo mundialmente conhecido do cooperativismo: um círculo abraçando dois pinheiros para indicar a união do movimento, a imortalidade de seus princípios, a fecundidade de seus ideais e a vitalidade de seus adeptos. Tudo isso marcado pela trajetória ascendente dos pinheiros que se projetam para o alto, procurando subir cada vez mais.

Bandeira: O cooperativismo possui uma bandeira formada pelas sete cores do arco-íris, aprovada pela ACI em 1932, que significa a unidade na variedade e um símbolo de paz e esperança. Cada uma das cores tem um significado específico:
Vermelho: coragem;
Alaranjado: visão de possibilidades do futuro;
Amarelo: desafio em casa, na família e na comunidade;
Verde: crescimento tanto do indivíduo como do cooperado;
Azul: horizonte distante, a necessidade de ajudar os menos afortunados, unindo-os uns aos outros;
Anil: necessidade de ajudar a si próprio e aos outros através da cooperação;
Violeta: beleza, calor humano e amizade.

Comentários estão fechados.