O lapidador das almas

Anos atrás, foi descoberto na África um diamante, considerado o maior já descoberto. Tão magnífica era a pedra, que os colonizadores do local logo a enviaram a um lapidador de renome em Amsterdã, a fim de que a preparasse para ornamentar a coroa do rei da Inglaterra. Ao examinar a pedra, o lapidador solicitou tempo aos emissários da metrópole britânica. Ele queria estudar cuidadosamente o caso, para descobrir a melhor maneira de transformar a gema prodigiosa em uma maravilha da arte humana.

Um dia, pegando a pedra preciosa, com um golpe violento, o lapidador partiu em dois, o diamante. Se víssemos seu procedimento, teríamos ficado indignados com tamanha loucura. Afinal, como podia um lapidador tão famoso desperdiçar daquele modo a pedra que seria do rei? Mas, o olhar perito do lapidador descobrira cristalizações e linhas de corte no diamante que, se exploradas, dariam à joia final um contorno inexprimível e reflexos esplendorosos de luz. O golpe do especialista não fora um erro, fora o apogeu da arte da lapidação.

Ora, como ousamos por vezes pensar ser injusto o Deus do Universo, ao permitir-nos passar por certos sofrimentos e golpes que hoje nos ferem, machucam-nos e trazem-nos muitas dores? Com certeza, não iremos morrer. Não podemos desfalecer e nem deixar-nos dominar por essa visão limitada. Os sofrimentos e aflições provam que somos a joia mais preciosa do Universo aos olhos do Criador. Precisamos ter confiança no Perfeito e Talentoso Lapidador das almas humanas: o Deus Todo-Poderoso. Ele jamais erra o golpe.

Precisamos receber a regeneração espiritual e a salvação pela fé em Cristo Jesus, que é a qualificação recebida gratuitamente, para sermos feitos filhos de Deus e, a partir daí, termos um relacionamento genuíno e crescente com o Criador. Em Filipenses 1:6, está escrito: “Estou plenamente certo de que Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus”. Creia na sabedoria divina em tratar conosco dia após dia!

Por Eriberto Nespolo

(54) 9 9662-8083

 

Comentários estão fechados.