Chuvas amenizam perdas das lavouras de verão

As chuvas que caíram no último domingo (2/2), em diversos municípios do Alto Uruguai, não foram suficientes para recuperar a umidade do solo, mas ajudaram a estancar as perdas nas lavouras e pastagens, de acordo com informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim. Em Erechim, por exemplo, choveu 15 milímetros. Durante o mês de janeiro, foram registrados 151 de milímetros no município.

As lavouras de soja, safra 2019/2020, com área semeada de 238.062 hectares, na região do Alto Uruguai, começam a ser colhidas, de acordo com levantamento da Emater/RS-Ascar. A expectativa inicial era de 3.849 quilos por hectare (64,15 sc/ha), mas há uma previsão de perdas de 5%. No momento, a cultura está 15% em estado vegetativo, 59% entre floração e formação de legumes e 25% enchimento de grãos, 1% colhida. Algumas lavouras esporádicas já foram colhidas, com produtividade média de 40 sc/ha. Preços em média R$ 79,00/sc. Farelo de soja R$ 1,60 por kg. Nesta semana, os produtores estão realizando tratos sanitários preventivos. Não houve identificação de foco de ferrugem na região do Alto Uruguai.

As lavouras de milho grão estão com mais de 20% da área colhida (área plantada 44 mil hectares). A produtividade esperada é de 9.274 kg/ha (154 sc/ha). A cultura está com 5% em floração, 75% enchimento de grãos a maduro por colher. A produtividade tem sido entre 80 e 140 sc/ha. Preço R$ 44,00/sc.

A falta de chuvas também afetou as lavouras de milho para silagem, com área cultivada de 16.610 hectares. A expectativa inicial de 38.800 kg/ha não deve se confirmar, devido a previsão de perdas de 15%. A cultura encontra-se em 25% em fase de formação de grãos e 75% colhida. Há perdas sensíveis na qualidade do grão.

A área cultivada com feijão, de 1.148 hectare, está com 90% da área colhida. Os 10% estão em fase de enchimento de grãos. O rendimento tem sido bastante variável, situando-se entre 25 e 55 sc/ha.

Segue a colheita da erva-mate. Na região do Alto Uruguai, são cultivados 7 mil hectares. A cultura começa a ser prioritária em alguns municípios pela opção da diversificação nas propriedades.

O clima quente também tem prejudicado as olerícolas, principalmente as folhosas, causando diminuição de tamanho, perda da qualidade e incidência de pragas (trips).

Criações

Bovinocultura de corte – As chuvas registradas na última semana também favoreceram as pastagens, porém permanece ainda a necessidade de complementação da alimentação dos animais em terminação, segundo os dados da Emater/RS-Ascar. Mercado desaquecido, tendo leve queda dos preços praticados. Novilhos negociados a 6,50 R$/kg.

Bovinocultura de leite – Os sistemas a pasto contam com uma sensível melhora na qualidade das pastagens em relação às semanas anteriores. Nos sistemas confinados, as temperaturas um pouco mais baixas durante o dia e amenas à noite melhoraram o bem-estar e o desempenho dos animais. Os rebanhos apresentam boas condições sanitárias. Atualmente, a média paga ao produtor é de 1,30 R$/L, chegando a R$ 1,60 para produtores com mais quantidade ou qualidade.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais