Erechim prestigia o primeiro musical Da Capo Coral

Aconteceu no dia 03/11/2019 o primeiro musical Brasil de Norte a Sul realizado pelo grupo Da Capo coral no centro cultural 25 de julho. O evento estava marcado para às 19:30. Antes do horário previsto o local apresentava fila para a entrada do espetáculo, os ingressos estavam esgotados e havia muitas pessoas do lado de fora. Em cada entrada do coral o público ovacionava com aplausos, as músicas do repertório bem conhecida do povo. Senhoras, se balançavam nas cadeiras, o público cantava junto, muitas risadas com às as histórias do Gaudêncio.

O sucesso foi tão grande que o grupo da Capo Coral garantiu uma nova apresentação, mas sem data definida. Afirmou o maestro – Tailor Roberto Malossi que rege o coral desde 2013. “Sempre foi o sonho de fazer o projeto que fosse escrito, produzido pelo grupo da Capo mais nunca foi feito, somente agora com a nova direção que esse sonho tornou realidade. E não esperávamos o sucesso que foi, surpreendeu a todos nós que fizemos parte do coral.”

O maestro vai além e fala que é muito difícil fazer arte e cultura sem apoios, incentivos governamentais, e que todo esse projeto é fruto de muito trabalho, dedicação e empenho de toda a família da Capo. Conversamos com o Patrick Wozniak o personagem do Lampião um dos fundadores do coral que faz parte da direção, responsável pelas mídias sociais, perguntamos – Qual foi a sensação de atuar no musical? Disse: nervosismo mais  que também muito gratificante “uma coisa é você fazer os ensaios sem plateia outra coisa é ver toda a plateia lotada”. Emocionado com o resultado fala que foi a primeira vez que tiveram o centro cultural lotado tudo que aconteceu no palco foi novo.

Gaudêncio o protagonista do musical representado por Gabriel Soares parou para nos contar como foi ter a responsabilidade do papel principal. Ele falou que é o personagem que ama, mas muito caricato, é o gaúcho grosso, marrento mais que conseguiu transformar no homem choroso, despojado. O elenco é todo o coral. Definiu que: “o Gaudêncio é todo o Rio grande do Sul, é o personagem que faz parte dele agora”. No início se criou muitas dúvidas, será que vai dar certo? porque nunca fizemos algo que misturasse música e teatro, sempre foi apresentações do coral somente com músicas.

Em cena realizei alguns improvisos para sentir se a plateia estava gostando. Gabriel finaliza com a frase “que cultura, arte é a salvação do Brasil” E não podíamos deixar de falar com o presidente – Túlio Bertagnoli perguntamos como foi dirigir e estar a frente do projeto Brasil de Norte a Sul? É o trabalho árduo, e de muitos desafios, coordenar 40 jovens adolescentes não é fácil exige esforço, concentração, foco. O maior trabalho é deixar todo mundo motivado, considera, como uma família que faz tudo junto mais que ao mesmo tempo tem problema e que precisa de maturidade para resolver. Foi muito gratificante todo aquele esforço as dificuldades foram compensadas com o retorno do público.

Por Regiane Ferreira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais