Áreas protegidas: conservando a biodiversidade

141

Vivemos em um mundo tecnológico e de constantes inovações. Aliado a um modelo econômico que visa em primeira instância o lucro. Como conciliar a preservação do meio ambiente com o crescimento econômico? Como garantir para as futuras gerações o mesmo ambiente que desfrutamos hoje?

Uma das alternativas para conciliar esses desafios são as Unidades de Conservação – UC’s. Áreas protegidas com a finalidade de manter fragmentos florestais ou extensões territoriais de relevante interesse ambiental, social e cultural. São divididas entre unidades de uso sustentável e de proteção integral.

As UC’s do grupo de proteção integral não admitem a extração dos recursos naturais nem alterações no ecossistema. Já as de uso sustentável, conforme prevê o SNUC, Lei 9.985/10 possibilitam a “exploração do ambiente de maneira a garantir a perenidade dos recursos ambientais renováveis e dos processos ecológicos, mantendo a biodiversidade e os demais atributos ecológicos, de forma socialmente justa e economicamente viável”.

Em Erechim, RS, temos uma UC de proteção integral muito conhecida, o Parque Natural Municipal Longines Malinowski. Este que preserva um fragmento florestal do Bioma Mata Atlântica. Inserido no centro da cidade possibilitando contato direto com a comunidade, tanto para atividades de lazer quanto educacionais.

Mas não é apenas o poder público que pode criar uma UC. Você, proprietário de algum território rural ou urbano, que possua algum atributo relevante para a conservação da biodiversidade, também pode contribuir para a preservação do meio ambiente. Que tal uma RPPN?

A RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural é uma das categorias de UC do nosso país. O proprietário faz a solicitação e todos os trâmites para a criação desta UC. Normalmente não exige burocracias, sendo facilmente criada, além disso, não afeta a titularidade do imóvel, e assegura a permanência da posse da propriedade. Contribuindo com a preservação dos recursos naturais para as futuras gerações.

Aqui na região temos dois exemplos de RPPN’s a Maragato e a RPPN da UPF, ambas na cidade de Passo Fundo, RS, e que juntas preservam um total de 81 hectares.

E você, caro leitor, se animou para criar uma RPPN e ajudar a preservar o nosso tão ameaçado meio ambiente?

Reserva Particular do Patrimônio Natural da UPF

Fonte: Universidade de Passo Fundo (2017)

 

Aline Pompermaier

Gestora Ambiental

Acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade de Passo Fundo – UPF

 

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.