Oficina trabalha manejos e boas práticas de recuperação de Faixa Ciliar

Na última quinta-feira, dia 4 de outubro, aconteceu em Severiano de Almeida (RS) a Oficina: Modelos de Restauração da Faixa de Vegetação Ciliar e Nascentes. A iniciativa é do Centro de Divulgação Ambiental – CDA, do Consórcio Itá, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e de Educação de Severiano de Almeida (RS). Este projeto conta com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER-RS, equipe Co-Gestora do Parque Estadual Fritz Plaumann – ECOPEF e família Corioletti.

Na parte da manhã, a apresentação do conteúdo técnico e teórico aconteceu na Câmara de Vereadores de Severiano de Almeida, voltada para técnicos, estudantes, professores e servidores da prefeitura municipal. O educador ambiental do CDA, Jusselei Edson Perin, falou sobre a importância da Faixa Ciliar e citou ações para a recuperação de áreas degradadas e cuidados na realização do plantio. Rafael Leão, gestor da ECOPEF, trouxe o exemplo do projeto piloto desenvolvido com a comunidade para recuperação do Lajeado Cruzeiro, em Concórdia (SC). Já Ladi Burin, da EMATER-RS, abordou as ações para a proteção da nascente, que recebe neste momento a ação da Oficina com o CDA.

 

Propriedade Modelo  

A propriedade da família Corioletti, em Linha Doze, em Severiano de Almeida, possuía uma nascente desprotegida, com acúmulo de resíduos orgânicos, circulação de animais e água com a qualidade comprometida. O trabalho no local visou dar as condições necessárias para que a nascente fosse preservada e a água armazenada. Desta forma, servindo para a dessedentação animal e usos gerais na propriedade.

Nas intervenções anteriores o espaço foi cercado e a nascente protegida. Dois tubos de concreto foram colocados verticalmente no olho da nascente, fazendo um poço d’água. Agora, na ação desta semana, foi feito o plantio de mudas nativas com o objetivo de proteger a fonte. Um total de 38 pessoas estiveram envolvidas nos trabalhos na propriedade, sendo 20 alunos da Escola Municipal de Ensino Fioravante Lorini. Foram usadas quatro técnicas de restauração no local: Plantio de mudas; Poleiros; Núcleo de Galharia e Serapilheira.

A partir da atividade agora cabe aos proprietários fazer a manutenção do local, contando com a assessoria técnica das entidades envolvidas. A ideia é voltar na área com as mesmas turmas em junho de 2019, como ação da Semana do Meio Ambiente, para verificar como está o processo de recuperação da Faixa Ciliar.

 

A importância da preservação

A família de Helena Corioletti mora na propriedade onde está localizada a nascente que sofreu a intervenção. Ela afirma que a água é muito importante para a atividade agropecuária. Antes da intervenção, a água brotava do solo há cerca de cinco anos, mas não era utilizada na propriedade. “O que foi feito na nascente é muito importante para nós e vai proporcionar aos animais uma água limpa e boa para beber”, explica Helena. Ela ainda complementa: “Se dependesse de nós para fazer essa ação, seria difícil. No verão o nível da água baixa e precisamos pensar em preservar para ela não faltar”, finaliza.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais