Encontro de prefeitos em Getúlio Vargas debateu os conflitos indígenas de Charrua

Prefeito de Getúlio Vargas recebeu prefeitos da Região, o procurador do Estado, Rodinei Candeia, e os presidentes da Famurs e Amau

Inicialmente, o prefeito Mauricio Soligo, explicou que agendara o encontro com os colegas para mostrar solidariedade ao Prefeito de Charrua, Valdésio Roque Della Betta, e como forma de dar apoio e a demonstrar a preocupação de todos com os fatos que estão ocorrendo naquele município há mais de 40 dias, com uma morte e mais de 60 casas queimadas.

O prefeito de Charrua explanou para todos a atual situação do município, que está fazendo com que aulas sejam suspensas, e a apreensão da população causada pelos conflitos entre indígenas da Reserva do Ligeiro, de Charrua. “Estamos solicitando à Funai, à Polícia Federal e ao Ministério Público, mas ainda não tivemos resultados positivos para que volte a harmonia e paz entre os indígenas. Desta forma, estamos buscando o apoio de outros municípios e entidades”, declarou o prefeito Roque.

O procurador do Estado, Rodinei Candeia, em sua manifestação, prometeu dar toda atenção ao problema e buscar soluções em outras instâncias. Ele vai instalar um inquérito civil público e propor medidas efetivas de resgatar a ordem pública e cobrar uma solução do Estado, Ministério da Justiça e Funai. Sugeriu uma reunião com o Governador do Estado, Secretário de Segurança Pública do RS e Presidente da Funai. Segundo ele, o que falta na reserva é estabelecer um estado mínimo de direito, que envolve segurança, educação e saúde. “Precisamos de segurança e que os atores públicos conversem para acabar com o conflito”, destacou o procurador.

MANIFESTO DA AMAU

Os prefeitos da AMAU estiveram reunidos na manhã desta terça-feira, 3, em Assembleia Ordinária, na sede da entidade. Entre os assuntos tratados, foi abordado a questão dos conflitos indígenas da Reserva do Ligeiro. Como decisão e aprovada pelos prefeitos, foi assinada uma manifestação da AMAU, em apoio a Charrua. O teor do manifesto é de ajuda ao município de Charrua no sentido de sensibilizar o governo gaúcho e a FUNAI para que concentrem esforços para apaziguar a comunidade indígena. Pedem que o governo do Estado amplie o efetivo policial no município, instalando um posto da Brigada Miliar na Reserva Indígena.

Para a Funai, a AMAU solicita urgência no atendimento das reivindicações apresentadas pelo município, no que tange a construção imediata das casas queimadas e o aporte de recursos financeiros e humanos para auxiliar neste momento de conflito.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais