Acadêmicos da URI fazem viagem de estudos ao Uruguai e campanha gaúcha

Um grupo de acadêmicos dos Cursos de Ciências Biológicas e de Medicina Veterinária da URI Erechim viveram momentos importantes na caminhada em busca de novos conhecimentos. Entre os dias 20 e 23 de junho, participaram de uma atividade prática em campo dentro das disciplinas de Manejo de Fauna Silvestre e Fisiologia Animal, quando puderam contemplar a fauna e a paisagem da campanha gaúcha e do litoral do Uruguai. Foram desenvolvidas atividades unindo os elementos naturais aos aspectos socioculturais do país vizinho.

A viagem teve início com a observação da fauna na Estação Ecológica do Taim, passando pela Fortaleza de Santa Tereza e uma trilha que dá vista à Laguna Negra, já em território uruguaio.

No dia seguinte foi percorrida a trilha selvagem que liga Barra de Valizas ao Cabo Polônio, que inclui uma travessia de barco e uma longa caminhada pela Playa de las Calaveras, que leva este nome pela grande quantidade de carcaças de animais marinhos encontradas ao longo da praia. Seguindo de Cabo Polônio o grupo se revezou entre mais uma caminhada ou transporte em um caminhão modificado até a entrada do Parque Natural de Cabo Polônio.

Os acadêmicos puderam observar diversas espécies como: lobo-marinho (Arctocephalus australis), leão-marinho (Otaria flavescens), pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), “sapito”-de-darwin (Melanophryniscus montevidensis), tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), jacaré (Cayman latirostris), capivara (Hydrochoerus hydrochaeris) e tachã (Chauna torquata).

O último dia de viagem reservou uma visita ao Museu del Mar, em Punta del Este, passando por Laguna Garzón, La Paloma e José Ignácio. Para finalizar, o pôr do sol foi contemplado em Punta Ballena junto a Casa Pueblo.

Para o professor Jorge Reppold Marinho, responsável pelas disciplinas, e que acompanhou os acadêmicos, esta atividade proporcionou um olhar mais contemplativo da natureza, principalmente da fauna e das paisagens litorâneas. O professor destaca também que, neste período de tempo de convivência, é criada uma relação mais próxima entre as pessoas, fortalecendo o espírito coletivo. A integração entre acadêmicos dos cursos de Ciências Biológicas e Medicina Veterinária também fortalece estas relações. As palavras de Heráclito, estampadas junto ao Museu del Mar, resumem bem o sentimento de quem participou da viagem e aprendeu a vivenciar a natureza: “os olhos e os ouvidos são ruins para os homens se seu espírito é incapaz de aprender a linguagem da natureza”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais