Acadêmicos da URI fazem viagem de estudos ao Uruguai e campanha gaúcha

Um grupo de acadêmicos dos Cursos de Ciências Biológicas e de Medicina Veterinária da URI Erechim viveram momentos importantes na caminhada em busca de novos conhecimentos. Entre os dias 20 e 23 de junho, participaram de uma atividade prática em campo dentro das disciplinas de Manejo de Fauna Silvestre e Fisiologia Animal, quando puderam contemplar a fauna e a paisagem da campanha gaúcha e do litoral do Uruguai. Foram desenvolvidas atividades unindo os elementos naturais aos aspectos socioculturais do país vizinho.

A viagem teve início com a observação da fauna na Estação Ecológica do Taim, passando pela Fortaleza de Santa Tereza e uma trilha que dá vista à Laguna Negra, já em território uruguaio.

No dia seguinte foi percorrida a trilha selvagem que liga Barra de Valizas ao Cabo Polônio, que inclui uma travessia de barco e uma longa caminhada pela Playa de las Calaveras, que leva este nome pela grande quantidade de carcaças de animais marinhos encontradas ao longo da praia. Seguindo de Cabo Polônio o grupo se revezou entre mais uma caminhada ou transporte em um caminhão modificado até a entrada do Parque Natural de Cabo Polônio.

Os acadêmicos puderam observar diversas espécies como: lobo-marinho (Arctocephalus australis), leão-marinho (Otaria flavescens), pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), “sapito”-de-darwin (Melanophryniscus montevidensis), tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), jacaré (Cayman latirostris), capivara (Hydrochoerus hydrochaeris) e tachã (Chauna torquata).

O último dia de viagem reservou uma visita ao Museu del Mar, em Punta del Este, passando por Laguna Garzón, La Paloma e José Ignácio. Para finalizar, o pôr do sol foi contemplado em Punta Ballena junto a Casa Pueblo.

Para o professor Jorge Reppold Marinho, responsável pelas disciplinas, e que acompanhou os acadêmicos, esta atividade proporcionou um olhar mais contemplativo da natureza, principalmente da fauna e das paisagens litorâneas. O professor destaca também que, neste período de tempo de convivência, é criada uma relação mais próxima entre as pessoas, fortalecendo o espírito coletivo. A integração entre acadêmicos dos cursos de Ciências Biológicas e Medicina Veterinária também fortalece estas relações. As palavras de Heráclito, estampadas junto ao Museu del Mar, resumem bem o sentimento de quem participou da viagem e aprendeu a vivenciar a natureza: “os olhos e os ouvidos são ruins para os homens se seu espírito é incapaz de aprender a linguagem da natureza”.

Comentários estão fechados.