Dias antes da suposta tentativa de rapto de criança em Concórdia, pai teria recebido ligação estranha com DDD do Iraque

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Concórdia – A Polícia Civil deverá investigar o caso envolvendo uma possível tentativa de rapto de uma bebê de apenas 1 ano e quadro meses no bairro Vila Nostra, em Concórdia, nesta segunda-feira, dia 4. O caso ganhou ampla repercussão após a publicação feita em primeira mão pelo jornalismo da Atual FM. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia.

Um fato novo que foi revelado pela família da menina é referente a uma ligação que o pai teria recebido no dia 4 de dezembro durante a madrugada. Rodinei Drehmer, servidor público, disse em contato com a equipe de reportagem que durante a madrugada recebeu chamados pelo Whatsapp. Ele não chegou a atender, pois estava dormindo.

No dia seguinte ao acordar, ele acabou percebendo que o número que havia ligado durante a madrugada do dia 4 de novembro mandou uma mensagem. Ao verificar a situação no celular a mensagem continha uma foto da sua filha e mãe que havia sido postada nas redes sociais.

Naquele período, Rodinei nem deu muita importância para a situação, mas achou estranho. Depois da suposta tentativa de rapto, os familiares acabaram “ligando os pontos”. No Boletim de Ocorrência, ele registrou a situação, disse que não conhecia o número e que acabou bloqueando aquela conta que manteve contato pelo Whatsapp.

A surpresa veio quando foi apurada a origem da ligação. Segundo Rodinei, as informações preliminares revelam que o número seria de um telefone com DDD do Iraque. Ele registrou a situação na Polícia Civil e também disponibilizou os históricos do celular e chamadas realizadas no mês passado pelo número do telefone suspeito.

Rodinei disse por telefone ao jornalismo da Atual FM que tem certeza que o número que manteve contato pelo whatsapp não é do Brasil. Uma mensagem de áudio que também teria sido enviada para o seu celular com a foto da sua mãe e da filha era de pessoas que falavam o português com dificuldades.

Agora, a família redobrou os cuidados e está atenta a movimentação estranho no bairro. Os portões foram fechados e ninguém tem acesso ao imóvel com medo de que o casal possa voltar. A Polícia Civil deverá dar sequência a investigação na tentativa de identificar o casal.

ENTENDA O CASO

 Uma moradora do bairro Vila Nostra em Concórdia registrou um Boletim de Ocorrência e acionou a Polícia Militar após duas pessoas “estranhas” e não conhecidas forem até a sua casa e pediram pela neta de apenas 1 ano e 10 meses. Dona Arminda Drehmer, ficou muito assustada com a visita do casal que chegou na residência e disse que conhecia a sua nora e estava no local para pegar a sua neta.

Como não conhecia o casal, dona Arminda estranhou a situação. O casal ficou no local por pelo menos 20 minutos tentando convencer a senhora de entregar a menina. A sua neta mora na mesma casa e durante o dia enquanto os pais trabalham ela cuida da bebê.

Somente depois de um tempo o casal, os dois bem vestidos, deixaram o local. Eles estavam com uma caminhonete branca e seguiram sentido bairro da Gruta. Depois de 15 minutos, eles retornaram e passaram novamente em frente a casa. A Polícia Militar foi acionada para apurar detalhes do caso.

Dona Arminda disse ao jornalismo da Atual FM que achou muita estranha a atitude do casal. A mulher falava o português muito ruim e o homem só falava em inglês, segundo ela conseguiu perceber. O carro também tinha os vidros bem escuros e não era possível identificar se mais pessoas estavam no automóvel.

Dona Arminda pelas redes sociais fez um alerta para as mães ficarem atentas. Ela suspeita até de um possível rapto de crianças. Ela também relatou que o casal já tinha conhecimento até do nome da sua neta. Por isso, a preocupação foi muito maior. Dona Arminda, assustada não abriu o portão da casa. Não deixou o casal ter acesso a residência.

Fonte: Atual FM 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.