Iniciação Científica no curso de Radiologia do ICSEC

O Curso Técnico em Radiologia do ICSEC de Erechim, mais que um curso, uma profissão. O Técnico em Radiologia poderá atuar em diversas áreas da Radiologia. O ICSEC oferece uma proposta pedagógica que foi planejada para que o profissional atue no amplo campo do diagnóstico por imagem.

O Curso é dividido em três módulos, com aulas teórico-práticas e 400 horas de estágio supervisionado, visando a formação humana e técnica necessária para o trabalho de apoio médico. Atua nos setores de radiologia convencional, tomografia computadorizada, ressonância magnética, densitometria óssea, mamografia, radiologia odontológica e radiologia veterinária.

A carga horária aliada às disciplinas e ao excelente quadro docente – que conta com professores especialistas em diversas áreas da radiologia –, fazendo com que os alunos desenvolvam as competências necessárias para a atuação profissional. Um exemplo é a pesquisa apresentada a seguir, fruto do trabalho desenvolvido por dois alunos na disciplina de Pesquisa em Radiologia, orientados pela professora Claudia.

 

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA PARA PLANEJAMENTO DE
IMPLANTES DENTÁRIOS

Mônica Paese*

Mayckon dos Santos*

* Alunos do Curso Técnico em Radiologia – ICSEC

Resumo: O planejamento cirúrgico em implantodontia é um procedimento de suma importância, pois facilita o diagnóstico, a instalação dos implantes e a reabilitação final. O objetivo desse artigo foi comparar a tomografia computadorizada à radiografia panorâmica, analisando os dois tipos de exames por imagem, descrevendo as vantagens e desvantagens, a fim de esclarecer qual a importância dessa modalidade de exame no planejamento de implantes dentários. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica, por meio de uma revisão da literatura, que da qual verificou-se que as radiografias panorâmicas apresentam limitações, com distorções, sobreposições na imagem e limitação de informações. Como resultado do estudo compreendeu-se que a tomografia computadorizada apresenta medidas precisas e visão tridimensional, com qualidade de imagem e riqueza nos detalhes, podendo auxiliar o implantodontista a operar com tranquilidade e segurança.

Palavras-chaves: Radiologia. Tomografia computadorizada. Radiografia panorâmica. Implante dentário. Planejamento.

 

INTRODUÇÃO

A implantodontia é citada, em 2017, como o ápice na modernidade quando a questão é reabilitação oral, porém o sucesso do tratamento com implantes está diretamente relacionado com o planejamento. Um dos pré-requisitos importantes para se obter o sucesso com implantes é uma quantidade de osso saudável no local receptor, incluindo altura e largura adequada e suficiente. No planejamento deve-se ter conhecimento da localização dos canais, visibilidade de diferentes cortes, dimensão vertical e horizontal, com o mínimo de distorção e ampliação da imagem. Diante desta realidade, este estudo levantou a seguinte problemática: Qual a melhor técnica para a determinação da posição, eixo de inserção, número e tamanho do implante, assim também como a quantidade e qualidade do tecido ósseo e das estruturas anatômicas a fim de obter melhores resultados com implantes? Assim, este estudo tem como objetivo comparar a tomografia computadorizada e a radiografia panorâmica. Para tal, utilizou como metodologia a pesquisa bibliográfica por meio de uma revisão da literatura.

 

1 TÉCNICAS RADIOLÓGICAS NO PLANEJAMENTO DE IMPLANTES

1.1 RADIOGRAFIA PANORÂMICA

A radiografia panorâmica é uma técnica simples, rápida, de fácil execução e prontamente acessível. Uma visão panorâmica pode ser bastante útil como um meio rotineiro, pode ser feita rapidamente, mas não pode fornecer uma imagem detalhada. São usadas a fim de pesquisar a presença ou ausência de dentes, corpos estranhos, áreas de modificação óssea, entre outras (WUEHRMANN; MANSON-HING, 1977). Fornecem um excelente panorama geral da dentição e das estruturas anatômicas da face. Por sua simplicidade técnica, sua imagem depende de alguns fatores: tipo de aparelho, posicionamento do paciente e variações anatômicas.

1.2 TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

A tomografia computadorizada é o método de diagnóstico por imagem que mais se desenvolveu nos últimos anos. Sua aplicabilidade em Odontologia vem aumentando com fins de diagnóstico, planejamento, tratamento e evolução. Tem como vantagem as construções multiplanares, permitindo a visualização de estruturas anatômicas tridimensionais, promovendo interpretações mais corretas (CAVALCANTI, 2010). Através de uma única tomada é possível obter imagens em diferentes cortes, transformar dados em imagem digital e fazer reconstrução da estrutura tridimensionalmente.

 

2 RESULTADOS E DISCUSSÕES

O método de diagnóstico no planejamento de implantes deve contar com a técnica que possibilite maior quantidade de informações com o mínimo de desconforto para o paciente no momento do exame. O profissional deverá optar pelo exame que proporcione a melhor localização de canais, qualidade e quantidade óssea, espessura e profundidade com o mínimo de distorções, evitando ao máximo erro e consequências desagradáveis.

Tomadas radiográficas baseadas nos sistemas de aquisição convencional fornecem apenas imagens com altura e largura, omitindo a visão em profundidade, necessária para o estabelecimento correto para colocação de implantes. Problemas como distorção geométrica e superposição estrutural tornam a avaliação óssea quantitativa impossível, contribuindo para lesões de estruturas e insucessos no tratamento de implantes (CAVALCANTI, 2010).

A tomografia computadorizada é um exame mais sofisticado e vem simplificar o planejamento, pois fornece todas as informações necessárias como quantidade e qualidade óssea, bem como a precisa localização de importantes estruturas anatômicas relacionadas com o local planejado para a colocação dos implantes, permite o correto planejamento da angulação e consequentemente da prótese a ser adaptada sobre este implante, permitindo um trabalho multidisciplinar e os melhores resultados para o paciente (BITTAR, 2002).

Com a imagem em três dimensões, é possível distinguir e estudar a íntima relação das estruturas anatômicas adjacentes com um eventual implante (CAVALCANTI, 2010). As imagens captadas por Tomografia Computadorizada também são versáteis, porque podem ser transferidas para um computador e manipuladas pelo cirurgião através de um software. Isso contribui para que os implantes sejam corretamente colocados e para escolha do melhor tamanho de implantes, aumentando o sucesso do procedimento, reduzindo consideravelmente a probabilidade de perda do(s) implante(s) e ajudando para que a cirurgia ocorra de maneira minimamente invasiva.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A partir dessa pesquisa bibliográfica, pode-se concluir que a tomografia computadorizada apresenta inúmeras vantagens comparadas à radiografia panorâmica, pois permite um planejamento virtual, facilitando o diagnóstico, fornecendo imagem de melhor qualidade, com riqueza de detalhes e em três dimensões, auxiliando os implantodontistas a operar com  tranquilidade e segurança.

 

REFERÊNCIAS

BITTAR, J.A. A utilização da tomografia computadorizada em implantodontia. [Monografia]. Pós-graduação em Radiologia Odontológica. Faculdade de Odontologia de Piracicaba. Universidade Federal de Campinas. Piracicaba, 2002, 58 p. Disponível em: <http://radiografar.com.br/artigos/Artigo_02.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2017.

CAVALCANTI, M. Tomografia computadorizada por feixe cônico. São Paulo: Santos, 2010.

WUEHRMANN, A.H.; MANSON-HING, L.R. Radiologia dentária. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1977.

 

 

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais