Em Sessão Solene, Legislativo resgata os 65 anos do CTG Galpão Campeiro

O Poder Legislativo resgatou, na noite da última sexta, em Sessão Solene que teve como vereador orador e propositor, André Jucoski, os 65 anos de história e realizações do Centro de Tradições Gaúchas Galpão Campeiro. Um momento ímpar para tradicionalistas, autoridades, convidados e comunidade presente que esteve na sede do homenageado.

“É com imenso orgulho que voltamos a realizar, nesta casa tradicionalista, a nossa Sessão Solene de homenagem. De resgatar e cultuar os seus feitos, de enaltecer o trabalho de homens e mulheres que deram e a sua contribuição, pois quando nascemos em um Estado que tem garra e tradição, aprendemos desde cedo a ter amor e respeito por nossas origens e orgulho de fazermos parte do povo que vive todos os dias o amor pela nossa terra”.

André destacou que o tradicionalismo é um estado de consciência, que busca preservar as boas coisas do passado, sem conflitar com o progresso, através do vivenciar e preservar o patrimônio sociocultural do povo gaúcho. “É a sociedade que defende, preserva, cultua e divulga a tradição gaúcha, que congrega defensores dos costumes, dos hábitos, da cultura, dos valores do gaúcho. Sua história inicia no mês de agosto de 1947, em Porto Alegre, quando eclodiu uma forte proposta de esperança, liberdade e amor a terra”.

História do Galpão Campeiro

No dia 6 de dezembro de 1952, reuniram-se no Clube Ypiranga um número expressivo de pessoas interessadas na organização de um Centro de Defesa das tradições Gaúchas, iniciativa liderada pelo professor Hugo Ramirez.

Estavam sendo lançados os fundamentos do CTG Galpão Campeiro, primeiro Centro de Tradições Gaúchas de Erechim, do Alto Uruguai e oitavo CTG a ser criado no Estado do RS, tendo como seu primeiro patrão Hugo Ramirez.

“O início desta entidade não foi tão simples, pois não se tinha estrutura física. Na época, Porfírio Cominetti, ofereceu sua residência para que pudessem fazer ensaios e reuniões. No início de sua criação, contava apenas com a Invernada Campeira. Após, criou-se as invernadas artísticas, sendo que o primeiro rodeio artístico de nossa região aconteceu no CTG Galpão Campeiro, que na época foi chamado de Marca de Talentos. O evento durou até a 8ª edição e foi criado pela prenda Liziane Tebaldi”.

O CTG Galpão Campeiro foi pioneiro na região em muitos eventos que hoje fazem parte de outras entidades tradicionalistas, a exemplo do Sarandeio da Paz, realizado durante a Semana da Paz no Rio Grande do Sul para relembrar o tratado de Paz de Poncho Verde que deu fim à Revolução Farroupilha.

O Galpão também realizou o primeiro batizado no estilo gaúcho, cerimônia que entrou para a história e que até hoje se mantem viva em diversos centros tradicionalistas. Em 1953, Erechim sediou a terceira festa Nacional do Trigo, e uma das atrações foi o desfile do CTG Galpão Campeiro junto com o CTG Lalau Miranda de Passo Fundo.

“Ao longo destes 65 anos, muitas foram as conquistas do CTG Galpão Campeiro, dentre as quais destacamos a aquisição desta sede que hoje nos recebe. A história deste Centro de Tradições Gaúchas sempre preservou as atividades culturais voltadas à tradição e ao folclore gaúcho, mantendo seus departamentos artístico, cultural, campeiro e esporte”.

Neste ano, o CTG foi representado em diversos eventos estaduais, como o Entrevero Estadual de Peões na cidade de São Sebastião do Caí e na Ciranda Cultural de Prendas em Bagé. Com as invernadas artísticas, o Galpão Campeiro também se destaca em eventos estaduais, tais como o Juvenart, competição de danças juvenis e o ENART, competição em diversas modalidades na categoria adulta.

O atual patrão, Aldair Menosso neste ano recebeu a Comenda João de Barro, homenagem esta oferecida pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho às entidades tradicionalistas que cumpriram com participações em eventos no ano de 2016. “Esta conquista é fruto de muito trabalho e dedicação não só do patrão como também de toda a patronagem, departamento campeiro, artístico, cultural, departamento de esportes e demais associados”, pontua.

“Toda a caminhada trilhada até este momento fizeram deste CTG ser um dos destaques do Rio Grande do Sul, fazendo cumprir com um dos itens da Carta de Princípios do MTG que diz: “Cultuar e difundir nossa História, nossa formação social, nosso folclore, enfim, nossa Tradição, como substância basilar da nacionalidade”.

Em sua manifestação, Aldair Menosso agradeceu a realização da Sessão Solene, destacando a importância da entidade nestes 65 anos de história e que os próximos anos também sejam de totais realizações.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.