Márcio Nunes: um treinador que resume o tamanho atual do Ypiranga

Carlão deixa o Ypiranga

A escolha de Márcio Nunes como treinador do Ypiranga pegou todos de surpresa, afinal, o discurso era de não fazer apostas quanto ao nome do treinador. Márcio é uma aposta ousada, arriscada, contraditória, mas segundo um dirigente, resume o atual tamanho do Ypiranga. A queda para a Divisão de Acesso, as dívidas e a falta de pagamento de alguns profissionais, estão entre os motivos que fizeram o Ypiranga perder o selo de “bom pagador”, disse o dirigente.

A lista de treinadores era extensa, com dois grandes nomes, Picolli e Benhur Pereira. A negativa de ambos fez a direção sondar outros, entre eles, Márcio Nunes. O jovem que assume o Canarinho tem experiência como jogador, mas não como treinador. Apesar de a direção não afirmar publicamente, Nunes foi um dos poucos que se submeteu a realidade financeira do clube. Para ele uma grandiosa oportunidade, um bom trabalho na Divisão de Acesso pode render uma renovação para a Série C e projeção como treinador de futebol.

O momento do Ypiranga é outro, o clube está com dívidas, sem cotas de televisão ou dinheiro da Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Concordo com quem pensa que o Canarinho diminuiu de tamanho e precisa se adaptar a nova realidade. Não conheço o trabalho de Márcio Nunes, mas apesar da minha total desconfiança, preciso baixar a guarda e reconhecer que o Ypiranga está com a auto-estima baixa. O Internacional que é um gigante do futebol mundial também sofreu na hora de escolher um treinador, afinal, o patamar colorado em 2017 era abaixo dos demais clubes grandes.

Reconhecer seu atual tamanho é um gesto de humildade e responsabilidade de quem está à frente de um clube que precisa se reerguer em meio a um cenário nebuloso.  Um dirigente disse esta semana: “Fabio, precisamos recuperar a credibilidade do Ypiranga”. Concordo, por isso a margem de erro nas contratações precisam ser minimizadas. Acho muito arriscada a contratação de Márcio Nunes, mas também sei reconhecer que é o que tinha para o momento. Tomara que Nunes cale os críticos com resultados dentro de campo, caso contrário, o peso do insucesso vai cair sobre as costas do presidente Adilson Stankiewicz e, do gerente de futebol, Renan Mobarack.

Carlão deixa o Ypiranga

Chegou ao fim o ciclo do goleio Carlão, um dos maiores ídolos da história do Ypiranga. O jogador chegou ao clube em 2014 e de lá pra cá empilhou conquistas e conquistou o carinho do torcedor canarinho. Em 2017, depois de uma tentativa incansável de colocar o goleiro no banco de reservas, Carlão deixou o clube magoado com algumas situações ao longo da temporada. O goleiro assinou com o URT de Minas Gerais.

Por Fabio Lazzarotto

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais