Ato público em defesa da Pátria e Por um Brasil Melhor é realizado em Erechim

No final da tarde de terça-feira (3), entidades patronais, sindicais e de classe – ACCIE, CDL Erechim, Observatório Social, Sindicato Rural de Erechim, Sindilojas Alto Uruguai, Sinduscon, e Unindústria, realizaram ato público na Praça da Bandeira, em defesa da Pátria e Por um Brasil Melhor. As entidades e demais integrantes vestiram as cores da bandeira em prol do combate à corrupção. 

Os manifestantes fecharam a Praça da Bandeira, cantaram o Hino Nacional e com gritos de guerra pediram a saída de Lula. Inúmeros motoristas que passavam pelo local apoiavam o movimento e buzinavam. Os manifestantes, de mãos dadas, também deram um abraço na praça.

O ato público também contou com o canto do Hino Rio-Grandense nas escadarias da prefeitura e novamente o pedido pela prisão do Lula.

CARTA ABERTA À COMUNIDADE

As entidades abaixo signatárias vêm a público manifestar sua inconformidade com os últimos acontecimentos na esfera jurídica, especificamente com as tomadas pelo STF – Supremo Tribunal Federal – que está modificando decisões anteriores de manter a prisão de condenados em segunda instância.

Isso representa um retrocesso, pois até então muitas vezes processos envolvendo crimes complexos contra pessoas poderosas nunca chegavam ao fim, com a possibilidade de inúmeros recursos antes de a prisão ser efetivada.

Somos a favor do fortalecimento da Polícia Federal, com investimentos, recursos, não só financeiros, mas, também, com recursos humanos e liberdade total para poderem atuar.

Entendemos que o Estado deve agir fortemente contra a corrupção que está assolando o nosso país, pois isso, com certeza, irá refletir positivamente na nossa economia.

Sendo assim, exigimos:

– A manutenção da determinação do Supremo Tribunal Federal de que condenados em segunda instância sejam presos;

– O fim do foro privilegiado ou, pelo menos, limitação deste tipo de julgamento diferenciado para apenas os presidentes dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário);

– Que se façam investimentos na Polícia Federal para fortalecer a atuação do Estado no combate à corrupção, com mais recursos financeiros e humanos;

– A redução do loteamento político de cargos públicos, incluindo uma reforma no sistema de nomeação dos Tribunais de Contas;

– A diminuição dos cargos em comissão no serviço público;

– O fim da corrupção e impunidade aos crimes contra o patrimônio nacional e à nação brasileira.

Comentários estão fechados.