Novos dirigentes da URI tomam posse

Ao tomar posse como reitor da URI para o período 2018/2022, na noite de sexta-feira, 31, no Polo de Cultura, em Erechim, o professor Arnaldo Nogaro reiterou a retomada publicamente do “nosso compromisso perante a comunidade lembrando o lema de campanha: ‘diálogo, integra–ação e saberes compartilhados: a inteligência coletiva fará a diferença'”. Citou o educador Darcy Ribeiro, “a universidade de que precisamos, antes de existir como um fato no mundo das coisas, deve existir como um projeto, uma utopia, no mundo das ideias”. Recorreu a Boaventura Santos para lembrar que, “as novas gerações de tecnologias não podem ser pensadas em separado das novas gerações de práticas e imaginários sociais”.

Segundo o reitor Arnaldo Nogaro “a universidade deve aumentar sua capacidade de resposta, porém sem perder sua capacidade de questionamento. Não temos a fórmula de ouro, as alternativas terão que ser construídas de acordo com nossas características institucionais”, disse.
Observou aos professores e funcionários da universidade que seu trabalho não é somente para alguém adquirir um diploma, mas como afirma Ortega y Gasset em sua obra Missão da Universidade “é preparar o estudante para viver à altura do seu tempo”.
O reitor salientou que o cenário contemporâneo, as mudanças vertiginosas, “nos posicionam diante de certos dilemas, nos trazem incertezas, nos lançam dúvidas e questionamentos e um deles diz respeito ao futuro da universidade. O que pensar de uma instituição tão complexa num mundo em transformação, volátil, sustentado em valores negociáveis? Toffler reitera que os riscos não estão apenas se multiplicando, mas aumentando de modo vertiginoso. Portanto, o futuro que se aproxima não é para os fracos de coração”.
O reitor Arnaldo Nogaro disse que universidade terá que se mostrar receptiva e ágil às mudanças, aberta ao diálogo e às novas ideias, novas metodologias e propostas didático-pedagógicas, sem perder sua credibilidade, sua densidade epistemológica e sua face humanizadora. E é aqui que surge a esperança nas palavras de Cristóvão Buarque em sua obra A Aventura da Universidade, quando afirma que a universidade é o campo de luta em que a comunidade aceita o gosto pela aventura e vive a grande paixão que representa enfrentar as dificuldades e desafios, que são a razão de ser de uma instituição voltada para fazer avançar o pensamento. A responsabilidade de fazer da universidade um espaço de formação é nossa. Mais especificamente, de quem vai liderar este processo. Portanto, nossa responsabilidade primeira. E é por isso que precisaremos de três grupos de virtudes que Savater, filósofo da atualidade, considera imprescindíveis na sociedade: coragem para viver, generosidade para conviver e prudência para sobreviver. Sem coragem, não se pode viver e não se pode – sobretudo, viver eticamente. Sem coragem, uma pessoa virtuosa não saberá exercer suas virtudes. Reforçar a coragem para poder viver a generosidade para poder conviver. Conviver sempre exige, de alguma maneira ceder. Precisamos de generosidade porque nem sempre podemos fazer o que queremos, portanto, para, precaução e resolver os conflitos”, observou o reitor que assumiu a URI.

Luiz Mario Silveira Spinelli que ocupou o cargo de reitor por duas gestões, emocionou-se ao falar. Disse que “como nos manifestamos há oito anos atrás, seria imperioso e necessário ouvir muito. Consolidar um ambiente capaz de respeitar o coletivo e o plural. E nesse sentido, podemos afirmar que foi um período de muita construção coletiva.
Buscamos agir com ações bem definidas, em que a seriedade e a transparência foram marcas sempre presentes, e mesmo quando as decisões se revestiram de um grau maior de complexidade, foram tomadas de forma serena e responsável, com a participação efetiva da comunidade acadêmica.
Agimos com energia e determinação no sentido de aproximar as pessoas, Departamentos, setores, na crença de que vivemos um tempo, em que o fortalecimento da união é fundamental para o enfrentamento das demandas que todos os dias nos são propostas e exigidas”.
O professor Arnaldo Nogaro substitui o professor Luiz Mario Silveira Spinelli. A professora Edite Maria Sudbrack, é a nova pró-reitora de Ensino; Neusa Maria John Scheid, a pró-reitora de Pesquisa Extensão e Pós-Graduação e Nestor Henrique De Cesaro segue como pró-reitor de Administração. Também foram empossados os novos dirigentes dos seis câmpus da Universidade. No câmpus de Erechim assumiu como diretor-geral, Paulo Roberto Giollo; diretor acadêmico, Adilson Luis Stankiewicz e diretor administrativo, Paulo José Sponchiado. Para o câmpus de Frederico Westphalen a diretora-geral é Silvia Regina Canan; diretora acadêmica, Elisabete Cerutti e diretor administrativo, Clovis Quadros Hempel. No câmpus de Santo Ângelo segue como diretor-geral, Gilberto Pacheco; diretor acadêmico, Marcelo Paulo Stracke e diretora administrativa, Berenice Beatriz Rossner Wbatuba. No câmpus de Santiago a diretora-geral é Michele Noal Beltrão; diretor acadêmico, Claiton Ruviaro e diretora administrativa, Rita de Cássia Finamor Nicola. No câmpus de São Luiz Gonzaga segue como diretora-geral, Dinara Bortoli Tomasi e a diretora acadêmica é Renata Barth Machado. No câmpus de Cerro Largo assumiu como diretor-geral, Luiz Valentim Zorzo. Tomaram posse também os dirigentes das Escolas de Educação Básica. Em Erechim Alan José Bresolin; em Frederico Westphalen, Marcia Dalla Nora; em Santo Ângelo, Cristiano Weber; em Santiago, Maria Luiza Tamiosso Machado; em São Luiz Gonzaga, Jerusa Dutra Schreiner e em Cerro Largo, Flavio Andre da Silva Vogt – e seus respectivos vice-diretores.
A solenidade contou com a presença do Presidente da FuRI, Bruno Ademar Mentges, que abrindo as manifestações cumprimentou o reitor que deixava o cargo pela “belíssima gestão 2010 – 2018 e desejou sucesso ao reitor Arnaldo Nogaro, à sua equipe e às direções de câmpus. Também esteve presente a representante do Comung reitora da UPF, Bernadete Maria Dalmolin, dirigentes de outras universidades, o prefeito de Erechim Luiz Francisco Schmidt, dirigentes e professores de todos os câmpus, representantes de alunos, funcionários da Universidade e autoridades civis e religiosas especialmente convidadas para o ato solene. No final de junho tomaram posse todos os eleitos para as coordenações de curso e de áreas do conhecimento da URI, igualmente para o quadriênio 2018/2022.

Comentários estão fechados.