PIBID Biologia da URI desenvolve projeto de promoção à saúde em escola de Erechim

         Cuidado! O álcool transforma. O consumo de bebida alcoólica representa um enorme risco para a nossa sociedade. Pesquisas apontam que ela é responsável, direta e indiretamente, pela maior parte das mortes entre adolescentes e causa de parcela expressiva dos problemas sociais.

        No Brasil, a iniciação no uso de bebida alcoólica acontece ainda na infância o que faz com que o tema seja ainda mais preocupante. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde na Escola, a primeira experiência dos jovens com o álcool acontece em torno dos 12 anos. E os índices de jovens que consomem com regularidade aumentaram de 50,3% para 55,5% em três anos.

        No Rio Grande do Sul, essa prevalência chega a 68%. A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem como meta reduzir o consumo nocivo de bebidas alcoólicas no mundo em 10% até 2025. O Brasil está acima da média mundial de consumo per capita de bebidas alcoólicas, que é de 6,4 litros por ano, enquanto o consumo brasileiro é de 7,8 litros/ano.

        Entre as estratégias recomendadas pela OMS estão: a) a taxação da indústria e do comércio; b) o acesso mais fácil a tratamento para os dependentes; c) a criação de programas de prevenção contra o uso abusivo; e d) regulação da publicidade de marcas de bebidas em competições esportivas, TV e outros meios.

        Segundo a OMS, uma pessoa morre a cada dez segundos por 200 causas relacionadas ao álcool, como acidentes, mortes violentas e doenças como a cirrose e câncer. São 3,5 milhões de vítimas fatais ao ano. No Brasil, em 2017, foram mais de 72 mil mortes seja de forma total ou parcial atribuíveis ao álcool.

        Colocar em pauta a discussão sobre o consumo de bebidas alcoólicas entre crianças e adolescentes e incentivar a troca de ideias entre a escola, família, comunidade e a juventude é um fator positivo para reduzir a experimentação de álcool e drogas pelos jovens. Para combater essa situação, os Ministérios da Educação e da Saúde, por meio do Programa Saúde na Escola, desenvolvem uma campanha de prevenção ao uso de álcool e tabaco e outras drogas.

        No início deste ano, no Rio Grande do Sul, o Ministério Público, através do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões e da Promotoria da Infância e da Juventude, lançou, em edição extraordinária do Fórum Permanente de Combate ao Uso de Bebidas Alcoólicas por Crianças e Adolescentes, a Campanha “Cuidado: O álcool transforma”.

        Considerando a importância do tratamento da temática no cotidiano escolar, o Programa Institucional de Iniciação à Docência – PIBID, do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da URI planejou, em parceria com a equipe diretiva, docentes da Escola Estadual de Educação Básica Irany Jaime Farina e  comunidade (Setor de Educação Permanente da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde, 15ª Coordenadoria Regional Educação, CRAS Progresso, Polícia Civil, Brigada Militar, Polícia Rodoviária, entre outras), um projeto de intervenção que foi desenvolvido no mês de maio último.

        O trabalho buscou informar, alertar e refletir com crianças e jovens sobre os prejuízos do consumo de bebidas alcoólicas, bem como chamar atenção para outros aspectos desta questão que requer atenção de todos (família, escola, pais, filhos, professores e sociedade).

        No lançamento do Projeto, após a participação dos envolvidos em uma palestra sobre o tema, foi implantado na Escola um Coletivo Jovem de Saúde e Meio Ambiente, constituído por dois representantes por turmas dos anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio, escolhidos pelos seus pares. Estes estudantes, juntamente com os professores do educandário e equipe do PIBID, foram responsáveis por liderar as atividades do Projeto.

        O tema foi estudado em sua complexidade enfatizando a dimensão social e da saúde associada ao consumo de bebidas alcoólicas, por meio do estudo de diferentes tipologias textuais, vídeos, depoimentos, entrevistas, pesquisas de opinião sobre o tema, pesquisas bibliográficas, palestras, entre outros.

        Andriele Sadovski Majewski, estudante do Curso de Biologia e bolsista do PIBID, destacou que cada turma, como produto final, elaborou um material de educomumicação para apresentar no Seminário de Culminância, realizado nos dias 30 e 31 de maio, com a participação de convidados da comunidade.

        Nesse Seminário os estudantes apresentaram, por meio de diferentes estratégias (peças de teatros, teatro de fantoches, vídeos, poesias, palestras, jornal informativo, depoimentos) reflexões muito importantes sobre o tema.

        Segundo a professora Sônia Balvedi Zakrzevski, Coordenadora do PIBID Biologia, o trabalho desenvolvido pela comunidade da Escola Irany, aliado a outros, contribui na formação de cidadãos capazes de fazer escolhas com autonomia e assumirem a importância imediata e futura de suas decisões, com a responsabilidade que se espera para os jovens. Os produtos finais do Projeto, a partir da próxima semana, serão apresentados em outras escolas do município de Erechim, buscando sensibilizar crianças e jovens para o não consumo de bebidas alcoólicas.

        Essa é apenas uma das atividades desenvolvidas pelo Curso de Ciências Biológicas. Os futuros acadêmicos que podem ingressar via vestibular de verão terão a possibilidade de envolver-se no PIBID Biologia, um Programa Federal da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) que destina bolsas para estudantes que estejam cursando a primeira metade de curso de licenciatura.

Comentários estão fechados.