Dia de Campo sobre Conservação do Solo e Água reúne mais de 300 pessoas em Cruzaltense

 

Cerca de 350 pessoas, entre produtores, técnicos da Emater/RS-Ascar e estudantes, de oito municípios da região do Alto Uruguai, participaram do Dia de Campo sediado em Cruzaltense, na sexta-feira (31/05). O evento, voltado a Conservação do Solo e Água, foi realizado pela Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Cruzaltense, com apoio de diversas entidades, entre elas, Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul (Sargs), Syngenta, Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Embrapa Trigo, Sicredi, Cresol, Banrisul, Poletto, Olfar, Cooperalfa, Vaccaro e Uri Erechim. A ação integra o Programa Estadual de Conservação do Solo e da Água – Conservar para produzir melhor.

Na parte da manhã, a programação aconteceu no salão paroquial, onde foram ministradas palestras pelas extensionistas da Emater/RS-Ascar Nádia da Rosa e Angelica Albrecht Gazzoni. As extensionistas destacaram a importância da organização da propriedade, com ênfase na gestão ambiental.

Em seguida, Sandra Rodrigues, da Cinbalagens, falou sobre legislação que norteia o recolhimento e destinação adequada das embalagens vazias de defensivos agrícolas. Também falou sobre procedimentos que devem ser adotados pelo produtor como a tríplice lavagens das embalagens e as responsabilidades do agricultor, como por exemplo, uso de equipamentos de proteção individual (EPI). Segundo ela, hoje, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total de embalagens vazias de defensivos agrícolas que são comercializadas têm destino certo. Podem ser encaminhadas para reciclagem 95% das embalagens colocadas no mercado, desde que tenham sido corretamente lavadas no momento de uso do produto no campo. Ela explicou que as embalagens não laváveis (cerca de 5% do total) e aquelas que não foram devidamente lavadas pelos agricultores são encaminhadas a incineradores credenciados.

Humberto Dauber, da Sargs apresentou um vídeo com boas práticas de manejo das colmeias e uso de tecnologias aplicadas, desenvolvido em um projeto, que visa obter maior rendimento econômico com a atividade. Segundo ele, foi um trabalho desenvolvido em parceria com a Syngenta.

Após as palestras da parte da manhã, houve a abertura oficial do evento com a participação de autoridades e lideranças. Participaram do ato o prefeito de Cruzaltense, Kely José Longo, o presidente da Câmara de Vereadores, Ari de Pauli, secretário municipal da Agricultura, Moacir Rochemback, o gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, Gilberto Tonello, o representante da Secretaria Estadual da Agricultura, Cezar Albertoni, e Humberto Dauber, representando a Sociedade de Agronomia do RS, entre outros. A programação foi acompanhada também pelo assistente técnico estadual da Emater/RS-Ascar em Solos, Edemar Streck. Tonello agradeceu as parcerias e a equipe do escritório municipal de Cruzaltense, integrada pelo engenheiro agrônomo Andre Gazzoni e pela extensionista Angelica Albrecht Gazzoni.

A programação seguiu à tarde com palestras técnicas sobre agricultura conservacionista repassadas em quatro estações, sediadas na propriedade do produtor Remi Gazzoni. Em uma das estações, o pesquisador da Embrapa Trigo, Jorge Lemainski, destacou a importância do manejo e perfil do solo. Ele chamou atenção para diversas formas para identificar a compactação do solo, e práticas e ações sobre a geologia do solo, processo de infiltração da água e importância da rotação de culturas. “No RS a raiz da planta não está conseguindo infiltrar a água, devido à compactação do solo”, disse, afirmando que a o melhor adubo é a agua. O pesquisador também recomendou a rotação de culturas para que não ocorram perdas de nutrientes. “Descompactar o solo é o maior desafio da agricultura”, afirmou.

Em outra estação, o pesquisador da Embrapa Trigo José Eloir Denardin falou sobre agricultura conservacionista e orientações voltadas a diversificação de culturas. Para Denardin, a conservação de solo é fundamental para garantir a produtividade a longo prazo em qualquer sistema de produção. Para preservar o solo, afirma o pesquisador, é importante manter a cobertura no inverno, com gramíneas capazes de romper o solo e deixar palhada após a colheita de grãos. Em outra estação, o pesquisador da Embrapa Trigo Antônio Faganello falou sobre mecanização e técnicas de semeadura para o plantio direto. Ele apresentou práticas mecânicas e demonstrou a diferença, por exemplo, de práticas com o uso de hastes e disco para o rendimento das lavouras.

O tema armazenagem adequada de agrotóxicos e fiscalização foi abordado, na quarta estação, pelos técnicos do Departamento de Defesa Agropecuária, da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (DDA/Seapdr), Claudir Santa Catarina e Cristhian Teixeira. Eles orientaram sobre legislação, procedimentos que devem ser adotados pelo produtor na armazenagem e condução das embalagens. Também ressaltaram que o DDA faz um trabalho também educativo.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais