Votação para credores aprovar Recuperação Judicial da Comil é adiada

A votação para que credores aprovem ou não o Plano de Recuperação Judicial da Comil, que aconteceria na tarde desta quinta-feira, 03 de maio, foi adiada por 60 dias. O pedido foi de adiamento foi feito pelos credores do Grupo II (Banco Brasil, Banrisul, Itaú e Votorantin) que solicitaram mais tempo para analisar a proposta de pagamento.

A assembleia em que ocorreria a votação, foi organizada em um dos pavilhões do Parque da ACCIE e reuniu Credores Classe I (Trabalhadores), Classe II (Garantia Real/Bancos), Classe III (Quirografário) e Classe IV (Micro Empresas).A reportagem do Jornal Boa Vista e Rádio Cultura conversou com advogados, credores e representantes da Comil e todos se mostraram otimistas com a aprovação do plano, apesar do adiamento. Os advogados explicaram que o fato de os bancos pedirem prazo maior para análise não se trata de nada anormal, já que são dois bancos públicos e dois privados que precisam aceitar o acordo como se fossem um só.

Durante a conversa com a reportagem, os representantes da Comil fizeram questão de ressaltar que a empresa fechou recentemente um contrato com o Peru para a fabricação de 80 ônibus, o que deve garantir serviço por cerca de quatro meses e outras propostas estão em negociação. Eles ressaltaram ainda que atualmente a Comil não tem salários e nem dívidas em atraso, com exceção das que envolvem a questão da Recuperação Judicial.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais