Médico Erechinense esclarece dúvidas sobre o Coronavírus

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O novo Coronavírus (Covid-19), nome oficial divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é da família Coronavidae. Esse vírus é conhecido desde a década de 1960 e causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. A pandemia já foi considerada pela OMS como emergência internacional. No Brasil, até o momento, são cerca de 252 casos suspeitos e 2 casos confirmados (os casos confirmados se encontram no estado de São Paulo).

No Rio Grande do Sul temos em torno de 27 casos suspeitos; desses, nenhum se encontra na cidade de Erechim ou Alto Uruguai gaúcho. As taxas de mortalidade da infecção pelo coronavírus estão em torno de 3,4%. Esses índices apontam uma menor mortalidade se comparado à pandemia de 2009 do H1N1.

A transmissão ocorre por gotículas respiratórias, de pessoa para pessoa pela saliva, espirros, tosse, catarro, contato pessoal, contato com objetos ou superfícies contaminadas, que posteriormente pode ser levado a boca, nariz ou olhos. Acredita-se que outros fatores, como animais silvestres (cobras, pangolins, etc) podem ser reservatórios do vírus. O período de transmissibilidade ainda é desconhecido. O vírus pode ficar incubado no organismo de 2 a 14 dias.

Sinais e sintomas: A infecção por Covid-19 pode se manifestar com sintomas semelhares a um resfriado comum e/ou gripe causada pelo vírus influenza. Os principais sintomas são: febre, tosse, dores musculares, coriza e falta de ar. Os casos graves da doença podem se apresentar com insuficiência respiratória, pneumonia grave e óbito.

Formas de prevenção:

– Deve-se evitar o contato com pessoas que apresentam sintomas sugestivos ou suspeitos da doença;

– Evitar o contato com pessoas que viajaram recentemente para os países com alto índice da doença (Itália, China, etc), se esses viajantes estiverem com sintomas respiratórios (tosse, espirros, coriza);

– As pessoas com quadro clínico suspeito devem usar máscaras para evitar a eliminação de gotículas potencialmente contamináveis para o ambiente;

– Evitar espirrar em ambientes fechados;

– Higienizar as mãos com regularidade, utilizando água, sabão e álcool gel. Essa medida deve ser feita diversas vezes ao dia;

– Não partilhar objetos de uso pessoal;

– Manter-se, sempre que possível, em ambiente bem ventilado;

– Deve-se evitar viajar para locais de alta prevalência da doença;

– Utilizar lenços descartáveis para higiene pessoal.

Ainda não há tratamento específico para a doença causada pelo Covid-19. O tratamento atual é baseado em alívio dos sintomas, utilizando analgésicos e antitérmicos. Nos casos graves, pode ser necessária a internação hospitalar para melhor cuidado médico.

É importante destacar que as pessoas mais suscetíveis a qualquer tipo de vírus, incluindo o Coronavírus, são aquelas que tem idade mais avançada, crianças, imunossuprimidos e pessoas com doenças crônicas. Esses indivíduos vão se beneficiar de todo cuidado preventivo, que inclui também as vacinas do vírus Influenza, a Prevenar 13 e Pneumocócica 23. Ainda não há vacina específica para o coronavírus (Covid-19), porém há estudos em andamento para o seu desenvolvimento.

Por Dr. Joel Serafini

CREMERS 41462

Pneumologista

Residência Médica em Pneumologia no Hospital de Clínica da Universidade Federal do Paraná -UFPR.

Professor do Curso de Medicina da URICER

Get real time updates directly on you device, subscribe now.