Como estão às barragens no RS?

Por Paparico Bacchi*

Deputado Paparico

As tragédias de Mariana e de Brumadinho apontam para a necessidade de expor, analisar e discutir a situação das barragens instaladas no Rio Grande do Sul. Das cerca de 24 mil unidades cadastradas pela Agência Nacional de Águas em todo o Brasil, cerca de dez mil estão em solo gaúcho.

Um relatório elaborado pela autarquia federal revela que duas estruturas localizadas nos municípios de Cachoeira do Sul e Pelotas, apresentam riscos de rompimento, mesmo problema registrado em Viamão, segundo apontamento do Ministério Público Estadual. Os dados convergem com estudo desenvolvido ainda em 2014 – a pedido da Secretaria Estadual de Obras Públicas – que confirma riscos eminentes nas referidas represas.

A barragem de Águas Claras, em Viação, de acordo com dados revelados pelo promotor de justiça Daniel Martini, tem 14 metros de altura e 2600 metros de extensão. A capacidade de armazenamento é maior do que Brumadinho – aproximadamente 18 milhões de metros cúbicos de água. No caso de rompimento da represa, Porto Alegre pode ser atingida e a população sofrer danos irreparáveis.

Também causa enorme preocupação a barragem da Forjasul, situada entre os municípios de Maquiné e Riozinho. A área ocupada pelo reservatório é de cerca de 25 hectares e o vazamento descontrolado pode inundar o distrito de Barra do Ouro. De acordo com o parecer técnico elaborado pelo Gabinete de Assessoramento Técnico – Unidade de Assessoramento Ambiental em Construção Civil e Barragens, do Ministério Público estadual, a “barragem apresenta problemas severos, podendo ocorrer a ruptura”.

*Deputado Estadual (PR)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais