Porque Erechim está ficando atrás de outras cidades?

I

Diariamente se ouve pessoas da cidade comparando Erechim com Passo Fundo e Chapecó, que estão atraindo mais investimento do que nós. Bem, um dos fatores que coloca nossa cidade atrás das citadas, no quesito novos investimentos, é a burocracia que está entranhada em várias secretarias do município. Começa na demora em aprovar projetos, por mais que os secretários e o prefeito tenham a maior das boas intenções.

O anúncio de que a Havan vai abrir algumas megalojas no Rio Grande do Sul, acabou escancarando o quão pesado e lento é o sistema burocrático na cidade, e mais uma vez Erechim ficou atrás de Passo Fundo.

Há poucos dias um empresário daqui almoçou com a direção da Havan numa cidade catarinense e quando questionou se Erechim fazia parte dos futuros investimentos da empresa, ouviu do diretor da Havan: “nós sempre temos interesses em investir em cidades com população acima de 75 mil habitantes, mas com algumas condições: que não haja demora na liberação dos projetos e que nos deixem trabalhar livremente”. Ou seja, querem menos burocracia por parte dos órgãos públicos e que haja horário livre no comércio, durante os fins de semanas e feriados.

 

II

Na última quinta-feira 22, o presidente da Havan, Luciano Hang, junto com o prefeito de Passo Fundo, anunciou que a cidade citada receberia uma das duas primeiras megalojas no Rio Grande do Sul e que dentro de 90 dias ela seria inaugurada. Como a prefeitura de Passo Fundo consegue liberar um projeto deste tamanho em poucos meses? Em Erechim, com certeza, 90 dias mal dariam para que o projeto fosse do setor do protocolo até o departamento de aprovação.

Para aprovar o projeto do Caíta foram cerca de três anos, o do Passarela, mais de dois anos. Imagino que na hora de conceder Habite-se para o Passarela, surgirão empecilhos. E isso não acontece só com os investimentos que vem de fora, para os projetos dos investidores da cidade não é muito diferente, e só ver o quanto demorou para se liberar o projeto da construção do Master, na Rua Alemanha.

Entra prefeito, sai prefeito e, por maior boa vontade que tenham, a burocracia parece só aumentar. Está mais do que na hora de fechar alguns departamentos para se fazer um balanço do motivo destes setores serem tão pesados. Ou desburocratizamos nosso município ou ficaremos apenas fazendo comparações com Passo Fundo, Chapecó e até Concórdia.

 

Por Egidio Lazzarotto

 

 

Comentários estão fechados.