Jairo Jorge, o homem que planta

Pré-candidato do PDT ao governo do RS defende ‘estado eficiente’, redução de carga tributária e fortalecimento da governança regional

O ex-prefeito de Canoas, jornalista e pré-candidato do PDT ao governo do Rio Grande do Sul, Jairo Jorge, já visitou mais de 370 municípios gaúchos desde o ano passado. Até o próximo mês de maio, a ideia é passar por todas as 497 cidades do RS – e plantar uma árvore em cada uma delas.
Mais do que isso, porém, o periodista busca enraizar a semente de seu discurso no coração e na mente dos gaúchos. Sustentando ser um homem de ‘centro-esquerda’, o nome defendido pelos trabalhistas para suceder José Ivo Sartori (MDB) destacou em entrevista à Rádio Cultura 105.9 FM esta semana a necessidade de construção de um estado ‘nem mínimo nem máximo, mas eficiente’, com redução da carga tributária (e consequente aumento da arrecadação), desburocratização de entidades como a Fepam e fortalecimento da governança regional, a exemplo do que SC faz há bom tempo.
Enquanto o discurso com ênfase na educação, que pretende retomar com a utilização dos lucros das estatais, agrada a alguns; empresários de perfil mais conservador ainda torcem o nariz para o ex-petista, que alega ter deixado a sigla de Tarso Genro por não sentir-se à vontade na antiga legenda.
Além disso, ele corre contra o tempo a fim de compor uma coligação que possa lhe catapultar ao 2º turno do pleito de outubro. O cálculo do PDT é simples, chegando lá, a chance de vitória é real – pelo recorrente aspecto da 3ª via, roupagem que o jornalista pretende vestir. Todavia, é agora, na semeadura que veremos qual será o potencial da colheita. Jairo Jorge, o homem que planta, sabe disso.

 

Por Salus Loch

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais