Jairo Jorge, o homem que planta

Pré-candidato do PDT ao governo do RS defende ‘estado eficiente’, redução de carga tributária e fortalecimento da governança regional

O ex-prefeito de Canoas, jornalista e pré-candidato do PDT ao governo do Rio Grande do Sul, Jairo Jorge, já visitou mais de 370 municípios gaúchos desde o ano passado. Até o próximo mês de maio, a ideia é passar por todas as 497 cidades do RS – e plantar uma árvore em cada uma delas.
Mais do que isso, porém, o periodista busca enraizar a semente de seu discurso no coração e na mente dos gaúchos. Sustentando ser um homem de ‘centro-esquerda’, o nome defendido pelos trabalhistas para suceder José Ivo Sartori (MDB) destacou em entrevista à Rádio Cultura 105.9 FM esta semana a necessidade de construção de um estado ‘nem mínimo nem máximo, mas eficiente’, com redução da carga tributária (e consequente aumento da arrecadação), desburocratização de entidades como a Fepam e fortalecimento da governança regional, a exemplo do que SC faz há bom tempo.
Enquanto o discurso com ênfase na educação, que pretende retomar com a utilização dos lucros das estatais, agrada a alguns; empresários de perfil mais conservador ainda torcem o nariz para o ex-petista, que alega ter deixado a sigla de Tarso Genro por não sentir-se à vontade na antiga legenda.
Além disso, ele corre contra o tempo a fim de compor uma coligação que possa lhe catapultar ao 2º turno do pleito de outubro. O cálculo do PDT é simples, chegando lá, a chance de vitória é real – pelo recorrente aspecto da 3ª via, roupagem que o jornalista pretende vestir. Todavia, é agora, na semeadura que veremos qual será o potencial da colheita. Jairo Jorge, o homem que planta, sabe disso.

 

Por Salus Loch

Comentários estão fechados.