Município nega repasse de recursos e entidade corre o risco de fechar

Desde que iniciou suas atividades, a Aquarela Pró-Autista realiza um belíssimo trabalho em Erechim. Como diz a turma Super Patas: “Uma Aquarela que pinta a vida com as cores da inclusão”. Um espaço que já ajudou dezenas de famílias de crianças, jovens e adultos com autismo, um trabalho minucioso na orientação e atendimento adequado, facilitando a convivência e integração com a sociedade. Entretanto, hoje a realidade não é tão colorida, falta dinheiro para manter a estrutura, equipe e desenvolver as atividades.

 

A resposta infelizmente foi negativa

O assunto ganhou as redes sociais em função da mudança no repasse de recursos pelo Governo. Mudou a lei e a modalidade de repasses será por editais, por meio de projetos, colocando em risco os atendimentos gratuitos.  A entidade até mesmo encaminhou um ofício à Secretaria Municipal de Saúde, solicitando recursos e parcerias para dar continuidade aos trabalhos, mas a resposta infelizmente foi negativa. Hoje, a Aquarela conta com 37 atendidos, outros 25 estão na lista de espera e é necessário cerca de R$ 17 mil/mês para manter a estrutura funcionando.

 

Aquarela é referência

A associação tornou-se referência em atendimentos e terapias, por não ter fins lucrativos, prestar atendimento também para a região e estar sempre se reinventando. Em busca de recursos, mais uma vez está realizando uma ação – o brechó da solidariedade, na Rua Sarandi, n° 326 (uma quadra antes do Hospital Santa Terezinha). O brechó atende das 13h30 às 18h nas terças, quintas e sextas-feiras. Roupas e calçados (infantil e adulto), bem como acessórios com ótimo preço, fazem parte dos artigos usados.

 

Por Carla Emanuele

 

Comentários estão fechados.