Município nega repasse de recursos e entidade corre o risco de fechar

Desde que iniciou suas atividades, a Aquarela Pró-Autista realiza um belíssimo trabalho em Erechim. Como diz a turma Super Patas: “Uma Aquarela que pinta a vida com as cores da inclusão”. Um espaço que já ajudou dezenas de famílias de crianças, jovens e adultos com autismo, um trabalho minucioso na orientação e atendimento adequado, facilitando a convivência e integração com a sociedade. Entretanto, hoje a realidade não é tão colorida, falta dinheiro para manter a estrutura, equipe e desenvolver as atividades.

 

A resposta infelizmente foi negativa

O assunto ganhou as redes sociais em função da mudança no repasse de recursos pelo Governo. Mudou a lei e a modalidade de repasses será por editais, por meio de projetos, colocando em risco os atendimentos gratuitos.  A entidade até mesmo encaminhou um ofício à Secretaria Municipal de Saúde, solicitando recursos e parcerias para dar continuidade aos trabalhos, mas a resposta infelizmente foi negativa. Hoje, a Aquarela conta com 37 atendidos, outros 25 estão na lista de espera e é necessário cerca de R$ 17 mil/mês para manter a estrutura funcionando.

 

Aquarela é referência

A associação tornou-se referência em atendimentos e terapias, por não ter fins lucrativos, prestar atendimento também para a região e estar sempre se reinventando. Em busca de recursos, mais uma vez está realizando uma ação – o brechó da solidariedade, na Rua Sarandi, n° 326 (uma quadra antes do Hospital Santa Terezinha). O brechó atende das 13h30 às 18h nas terças, quintas e sextas-feiras. Roupas e calçados (infantil e adulto), bem como acessórios com ótimo preço, fazem parte dos artigos usados.

 

Por Carla Emanuele

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais