Carta aos calouros de medicina da uri

Caros futuros colegas,

Doravante suas vidas serão norteadas pelos Princípios Fundamentais do Código de Ética Médica, especialmente do seu capítulo I. “Artigo I – A Medicina é uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e deve ser exercida sem discriminação de qualquer natureza.”
É importante lembrar que a atividade médica ao longo dos anos, assim como tantas outras, sofreu grandes mudanças. Com o avanço vertiginoso do conhecimento e com o acesso a múltiplas e infinitas informações, as circunstâncias fizeram com que nos adaptássemos as novas tendências e comportamentos, ante a contundente realidade.
A temerária falta de recursos governamentais para o exercício pleno, ético e profissional, contrasta com os elevados custos das modernas tecnologias – muitas vezes exorbitantes. Resta pouco ou quase nada para remunerar a “mão de obra”. Há também, aproveitadores ocasionais que, por “preços populares”, exploram o trabalho médico. Ainda, persistem alguns que não fazem medicina, e sim, o comércio vil da dor e do desespero alheio. Sem contar os que submetem seus “bagrinhos” a condição de subemprego.
O futuro se mostra difícil e as exigências quase insuportáveis para todos nós que pretendemos exercer a sagrada obrigação sob o manto do respeito e da dignidade humana.
Mesmo assim torna-se imperioso lembrar que a medicina é regida por fundamentos morais inabaláveis; não se trata de uma ciência exata e tampouco tem como fim o restrito ganho material.
Nosso compromisso é com a defesa das pessoas em prol da saúde e da cidadania. Vivemos a busca de soluções para problemas somáticos, desequilíbrios psíquicos e sociais, e o respeito a cada um na sua integralidade, mediante a preservação da vida.
Recomendo aos novos futuros colegas que além das matérias curriculares estudem filosofia, história e literatura. Aprofundem-se em todas as artes que puderem. Leiam atentamente sobre Aristóteles e Leonardo Da Vinci: eles têm muito a ver com a nossa profissão, desde conceitos primordiais a estudos anatômicos jamais superados.
Leiam muito nos momentos de descanso ou lazer. Leiam Dostoievski, Tolstoi, Balzac, Proust, Dickens, Mann, Sartre, Steinbeck, Eco, Machado e Cony. Ali vocês encontrarão a essência da alma, matéria quase abstrata a ser dissecada por vossas mentes. Conhecer a alma é absolutamente necessário à boa prática médica.
E por último, na hora da matrícula, não esqueçam de agradecer as pessoas que formam a URI e lutaram mais do que ninguém para lhes propiciar a mais bela das ocupações, o mais sublime dos ofícios. Agradeçam principalmente aos médicos envolvidos nessa epopeia, e também aos futuros professores.
Agora está tudo pronto e alinhado. Resta a vocês um profundo entendimento e exaustiva dedicação que tão nobre missão exige. Sintam-se acolhidos.
Felicidade a todos.

Dr. Alcides Mandelli Stumpf
Médico – Membro da AEL

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais