Plantio das lavouras de milho na região está encerrado e produtores se preparam para safra de soja

O Escritório Regional da Emater/RS-Ascar em Erechim estima que as lavouras de milho na região do Alto Uruguai estejam com mais de 90% de área plantada. Da área de plantio de 42 mil hectares, 10% está em fase de germinação e 90% em estado vegetativo. Já o plantio das lavouras de milho silagem, com área estimada em 15 mil hectares, está concluído. Nos últimos dois meses choveu em Erechim 113 milímetros que ajudou a amenizar a situação das lavouras.

A cultura do trigo, com área plantada de 29 mil hectares, apresenta boas condições sanitárias com lavouras em fase de espigamento e enchimento de grãos. A cevada, com área de plantio de 9 mil hectares, está em fase de enchimento de grãos e também apresenta boas condições sanitárias.

Em relação as lavouras de soja, com expectativa de área de plantio de 233 mil hectares, para safra 2019/2020, os produtores estão preparando o solo e realizando a dessecação da cobertura de inverno.

A perspectiva de aumento de área de cultivo da erva-mate, já que os produtores manifestaram interesse em novos plantios em terrenos de topografia acidentada, onde não são realizados o cultivo da soja. Neste sentido, a Emater/RS-Ascar realizou duas capacitações sobre a atividade, em Barão de Cotegipe e Getúlio Vargas.

Fruticultura

Os morangos cultivados em estufa estão com boa produção. Os parreirais estão em fase de brotação e apresentam ótima sanidade. No momento, os produtores estão realizando os primeiros tratamentos fitossanitários.

Os pessegueiros estão em frutificação. Alguns produtores estão realizando práticas de manejo e cultivo, como o raleio.

Já os citros, apresentaram uma intensa florada. Acredita-se que 80% das laranjas (valência, salustiana, umbigo, bergamotas) já foram colhidas. Nesta safra, houve queda na produtividade da fruta para suco, principalmente pela ocorrência da mosca-das-frutas. Já a fruta para consumo in natura deverá ter bons preços mais tarde, pela pouca existência de frutas ainda nos pomares. Para a próxima safa existe há expectativa de novos plantios de citros em torno de 400 hectares.

Criações

Para manter a bovinocultura de corte, no momento, o produtor utiliza basicamente as pastagens que estão brotando para alimento dos bovinos. Os preços estão baixos para a venda, de R$ 4,90 a 5,40/kg. Há necessidade do surgimento de abatedouros na região, de porte, pois parte da produção vai para ser abatida em outras regiões. Na alimentação dos bovinos de leite, as pastagens são suficientes, principalmente as aveias.

Situação da olericultura

Devido a legislação federal (Anvisa 02/2018 e a 01/2019) que trata da rastreabilidade, a Emater/RS-Ascar vem realizando reuniões com produtores de olerícolas/fruticultura da região do Alto Uruguai para orientá-los na cadeia produtiva com adequação da legislação, produção e comercialização dos produtos in natura aos consumidores. São repassadas orientações sobre a utilização do caderno de campo, com as anotações de manejo, registro de insumos agrícolas e formação de lotes. Os produtores também são orientados sobre o uso das etiquetas ou rótulos contendo nome, data, lote, município, peso, inscrição produtor facilitando na comercialização e na identificação dos produtos destinados ao consumo humano.

O município de Erechim tem o maior número de produtores da região, em torno de 50, sendo a que maioria produz em cultivo protegido e convencional a céu aberto e dois produtores hidropônicos, além de possuir nove feiras para a comercialização.

Comentários estão fechados.