Produtores da região participam do Curso de Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares em Erechim

Um grupo de produtores da região do Alto Uruguai está em Erechim participando da 1ª edição do curso de Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares oferecido pela Emater/RS-Ascar no Centro de Treinamento de Agricultores de Erechim (Cetre). O curso iniciou nesta terça-feira (02/10) e prossegue até quinta-feira (04/10). Os participantes e instrutores receberam as boas-vindas do gerente Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, Gilberto Tonello, da coordenadora do curso, Nádia da Rosa, e do coordenador do Cetre, Jorge Silvano Silveira. Tonello cumprimentou os participantes, bem como os instrutores, pela dedicação e empenho para a realização do curso.

Nádia destacou a importância da capacitação para uso das plantas medicinais. Esta é uma região com vocação para o cultivo e uso das plantas, observou.  Também adiantou que para o próximo ano estão previstas mais três edições do curso. A extensionista chamou atenção ainda para a “construção do conhecimento” e de que o curso possa contribuir para integrar as políticas públicas.

O coordenador do Cetre, Jorge Silveira, que também integra o grupo de instrutores do curso, agradeceu aos demais extensionistas pelo empenho em oferecer uma capacitação de qualidade.

O conteúdo programático teórico e prático será repassado durante os três dias por um grupo de técnicos e extensionistas rurais sociais. Entre os diversos temas que serão tratados estão conceitos, princípios ativos, princípios básicos na identificação botânica, tipos de hortos, políticas públicas e legislação, e Boas Práticas de Fabricação envolvendo preparo caseiro com Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares (Pmac). Também integra os assuntos que serão tratados solo, adubação e manejo das plantas, manejo integrado de pragas, alelopatia, plantes repelentes e plantas atrativas, colheita, secagem e embalagem e armazenamentos de Pmac, entre outras orientações.

No pátio do Cetre foi implantado um Horto de Plantas Bioativas. O horto, com metodologias didáticas (boneco fitoterápico, relógio do corpo humano e espiral) atende à legislação da Anvisa e será utilizado como uma das ferramentas no curso. O horto tem sido uma importante ferramenta de divulgação deste trabalho de resgate do saber popular e do conhecimento científico.

As plantas medicinais, aromáticas e condimentares, dispostas na metodologia do relógio, baseiam-se no uso tradicional e no conhecimento científico, correlacionadas aos órgãos conforme a ação terapêutica de cada planta. Entre as orientações repassadas estão as formas de identificação das plantas, o cultivo e o horário mais adequado para o consumo de acordo com cada órgão, entre outras orientações.

 

 

Comentários estão fechados.