Consultas especializadas são ampliadas em 525%

A Secretaria Municipal de Saúde ampliou em 525 % a oferta de consultas especializadas aos usuários do sistema público, referenciados pelas Unidades Básicas de Saúde (12 UBS), nos anos de 2017 e 2018.

A SMS mantém convênio com a Fundação Hospitalar Santa Terezinha, através da Central de Especialidades, de 100 consultas /mês. Em abril de 2017 esse quantitativo ascendeu para 500 consultas/mês, para fazer frente às demandas dos usuários e para minimizar a demanda reprimida. Ainda em 2018 esse número recebeu novo incremento, passando para 625 consultas/mês, o que dá um montante anual de 7.500 consultas especializadas.

Atualmente são ofertadas ao mês aproximadamente 825 consultas especializadas, considerando as 200 consultas/mês contratadas de Psiquiatria, mas sem considerar as consultas do Centro de Especialidades da SMS, através dos profissionais médicos do quadro efetivo do município (traumatologia, pneumologia e cirurgia geral), o que eleva o quantitativo para mais de 1.000 consultas mês.

A Central de Especialidades da FHSTE disponibiliza consultas nas áreas de oftalmologia, otorrinolaringologia, vascular, cardiologia, urologia, reumatologia, nefrologia, cirurgia geral e ortopedia, entre outras, todas encaminhadas mediante referenciamento da Atenção Primária.

Somente com as consultas especializadas contratualizadas com a FHSTE, a SMS investe mensalmente o valor de R$62.500,00, o que perfaz um valor anual de R$ 750.000,00. Nas áreas em que não há consultas ofertadas pela rede local de saúde os usuários são encaminhados para Tratamento Fora de Domicílio (TFD), em Porto Alegre, Lajeado, Ijuí, Santa Maria, Passo Fundo, entre outros municípios considerados de referência para o SUS.

Só para a Casa de Apoio, mantida pela SMS em Porto Alegre, no primeiro semestre foram encaminhados 2.171 pacientes e 1.235 acompanhantes, num total de 3.406 pessoas.

Para o secretário de Saúde, Jackson Arpini, a SMS tem atuado em sete eixos visando o fortalecimento das ações e serviços de saúde: contratação de mais profissionais (médicos), investimentos na assistência farmacêutica, ampliação de exames de diagnose e consultas especializadas, renovação da frota, melhorias na estrutura física da rede de saúde e permanente interlocução com o Ministério da Saúde e parlamentares para captação de recursos federais.

“Com esses quantitativos estamos reduzindo a demanda reprimida, mas somos sabedores que em algumas áreas ainda há consultas represadas”, pontua o secretário.

Comentários estão fechados.