Sicredi UniEstados impacta mais de duas mil pessoas em Encontros de Educação Financeira

Orientar para o uso consciente do dinheiro também faz parte do dia a dia da cooperativa

Desde o início do ano, mais de 2 mil pessoas foram impactadas em quase 50 encontros sobre educação financeira realizados pela Sicredi UniEstados, nas regiões de abrangência da Cooperativa no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Tendo como público alvo, colaboradores de empresas, microempreendedores, servidores públicos, estudantes, acadêmicos, professores, produtores rurais e jovens, o programa orienta sobre o uso consciente do dinheiro e está alicerçado na missão do Sicredi, de agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos associados e da sociedade. O programa é disponibilizado gratuitamente.

De acordo com a responsável pelo Programa de Educação Financeira da Sicredi UniEstados, Fernanda Breda, falar sobre esse assunto é necessário pelos dados expressivos de inadimplência da população brasileira, que chegaram a 63,4 milhões, em julho, de acordo com o último levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Segundo ela, esse problema fica ainda mais grave quando se percebe que a qualidade de vida da população também começa a ser afetada: são inúmeros casos de depressão, problemas de saúde e desestrutura do contexto familiar. “O objetivo do Sicredi é trabalhar para reverter esse contexto, de forma simples, próxima e ativa, por meio da conscientização e sensibilização sobre a importância do equilíbrio e sustentabilidade financeira”, comenta Fernanda. “Entender a nossa relação com o dinheiro é o primeiro grande passo. A partir dessa perspectiva, fazer um diagnóstico detalhado dos nossos gastos diários é o que vai tornar possível a organização orçamentária e destinação de recursos para realização dos objetivos de curto, médio e longo prazos”, explica.

Para o presidente da Sicredi UniEstados, Adelar José Parmeggiani, os encontros fortalecem a missão da Cooperativa e contribuem com a qualidade de vida das comunidades. “Muito mais do que um planejamento financeiro eficiente, é preciso que ele seja sustentável e equilibrado, de modo que exista uma mudança de hábitos consistente em relação às finanças”, enfatiza.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais