Rally de Erechim seguirá realizando compensação das emissões de gases de efeito estufa

Projeto Rally Carbono Zero já recuperou mais de 60 mil metros quadrados de áreas de preservação

O Rally de Erechim tem se preocupado ao longo dos anos em compensar a emissão dos gases de efeito estufa gerados durante o evento, atualmente o maior do país no rally de velocidade e um dos mais importantes na América do Sul. Por isso, desde 2012 realiza o projeto Rally Carbono Zero.

Através dele, uma equipe coordenada pela FAU Agricultura e Meio Ambiente, realiza levantamento de toda a emissão de gases de efeito estufa gerados na realização do evento. Na última semana, a equipe realizou oficialmente a entrega do relatório do Rally de 2018, ao presidente do Erechim Auto Esporte Clube, Claudio Pagliosa.

Na última edição, foram geradas por mais de 53 toneladas de gás carbônico (CO2). Para compensar esta emissão, foram plantadas 379 árvores em áreas de preservação permanente. As árvores, através do processo de fotossíntese absorve estes gases.

Estudo do Instituto Brasileiro de Florestas aponta um cálculo de 7,1 árvores plantadas por cada tonelada de CO2 emitida, para uma compensação pelo período de 20 anos.

Realizado há sete anos, o projeto já contribuiu para recuperar mais de 60 mil metros quadrados de áreas de preservação. Para Pagliosa, esta é mais uma iniciativa que faz o Rally de Erechim se destacar. “É o compromisso que temos em vários sentidos para que o evento contribua com a sociedade, além do show que acontece nas pistas”.

Este ano, a mesma equipe que realizou o trabalho nos últimos anos, seguirá sendo parceira no desenvolvimento do Rally Carbono Zero.

Comentários estão fechados.