Charrua detecta primeiro foco de Dengue e pede colaboração da comunidade para prevenção

A Secretaria da Saúde e Assistência Social de Charrua, através do Departamento de Vigilância Ambiental, detectou na semana passada o primeiro foco do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, no município, em 2018. O foco foi localizado no perímetro urbano, na Cidade Alta.

Com esse resultado, a vigilante ambiental da prefeitura, Liamara Fracaro, destaca que a população precisa ficar em alerta e reforçar os cuidados para não deixar água parada, pois a prevenção continua sendo a maneira mais eficaz de evitar a reprodução do mosquito e, consequentemente, as doenças causadas por ele.

Para a delimitação do foco, a partir desta quarta-feira (28), estão sendo realizadas ações em um perímetro de aproximadamente 300 metros do entorno do local onde foi identificado o vetor da doença, com visitas dos agentes que efetuam a retirada de possíveis criadouros de mosquito.

“Quanto mais imóveis visitados pelos agentes, mais eficaz será o monitoramento. Por isto, é importante que as pessoas recebam os agentes e permitam que visitem suas residências para identificação de possíveis criadouros”, ressalta Liamara.

A vigilante pontua que a descoberta da larva não significa que exista a doença no município. “Agora, o momento é de redobrar a atenção e os cuidados, eliminando qualquer foco de água parada, para o mosquito não se reproduzir”, salienta.

Os vigilantes ambientais da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), de Erechim, visitaram o município na manhã desta quarta-feira (28), a fim de realizarem orientações e buscas mais profundas das larvas do inseto.

Cuidados básicos

A Prefeitura de Charrua, através da Vigilância Ambiental, orienta a população a intensificar o combate dos focos que podem virar criadouro do mosquito, confira algumas dicas:
– Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água;
– Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada;
– Não jogue lixo em terrenos baldios;
– Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo;
– Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje;
– Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda;
– Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva;
– Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água;
– Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana;
– Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.

Comentários estão fechados.