Charrua detecta primeiro foco de Dengue e pede colaboração da comunidade para prevenção

A Secretaria da Saúde e Assistência Social de Charrua, através do Departamento de Vigilância Ambiental, detectou na semana passada o primeiro foco do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, no município, em 2018. O foco foi localizado no perímetro urbano, na Cidade Alta.

Com esse resultado, a vigilante ambiental da prefeitura, Liamara Fracaro, destaca que a população precisa ficar em alerta e reforçar os cuidados para não deixar água parada, pois a prevenção continua sendo a maneira mais eficaz de evitar a reprodução do mosquito e, consequentemente, as doenças causadas por ele.

Para a delimitação do foco, a partir desta quarta-feira (28), estão sendo realizadas ações em um perímetro de aproximadamente 300 metros do entorno do local onde foi identificado o vetor da doença, com visitas dos agentes que efetuam a retirada de possíveis criadouros de mosquito.

“Quanto mais imóveis visitados pelos agentes, mais eficaz será o monitoramento. Por isto, é importante que as pessoas recebam os agentes e permitam que visitem suas residências para identificação de possíveis criadouros”, ressalta Liamara.

A vigilante pontua que a descoberta da larva não significa que exista a doença no município. “Agora, o momento é de redobrar a atenção e os cuidados, eliminando qualquer foco de água parada, para o mosquito não se reproduzir”, salienta.

Os vigilantes ambientais da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), de Erechim, visitaram o município na manhã desta quarta-feira (28), a fim de realizarem orientações e buscas mais profundas das larvas do inseto.

Cuidados básicos

A Prefeitura de Charrua, através da Vigilância Ambiental, orienta a população a intensificar o combate dos focos que podem virar criadouro do mosquito, confira algumas dicas:
– Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água;
– Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada;
– Não jogue lixo em terrenos baldios;
– Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo;
– Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje;
– Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda;
– Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva;
– Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água;
– Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana;
– Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais