Secretário da Fazenda faz análise da arrecadação de 2019

Na manhã desta quinta-feira (2), o secretário da Fazenda do município Waldir Luiz Tomazzoni, falou em entrevista ao Estúdio Boavista da Rádio Cultura sobre as contas da prefeitura de Erechim que fechou o ano de 2019 com R$ 5 milhões a mais do que o orçado.

De acordo com o secretário Tomazoni, “esse saldo são oriundos de algumas licitações realizadas no ano passado que não chegaram ao término, ou seja, esses valores estão comprometidos para 2020. Um exemplo disso são as Praça Prefeito Jayme Lago e Daltro Filho que em função de uma decisão judicial estão com as obras paralisadas. Hoje temos em caixa R$ 12 milhões, mas parte deste valor já está comprometido. Dos R$ 3 milhões da Câmara de Vereadores serão destinados para Fundação Hospitalar Santa Terezinha, asfalto de São Marcos e Escola Haidée Tedesco Reali entre outros investimentos acertados entre Executivo e Legislativo. Erechim tinha uma previsão orçamentária de R$ 270 milhões e arrecadou R$ 277,5 milhões, é muito pouco, nós esperávamos mais para poder investir na malha asfáltica, que é nosso “Calcanhar de Aquiles”, isso levando em consideração que estamos considerando asfalto um investimento, mas que na verdade é manutenção”, destacou Tomazoni.

IPTU

A partir de hoje, o IPTU como as taxas e todos impostos municipais estão 3,27 maior que o ano passado. Em 2019 as maiores receitas de arrecadação foram o IPTU e ISS que juntas somaram R$ 30 milhões. Seguido do ITBI –  Imposto de Transmissão de Bens Imóveis, que chegou a R$ 10 milhões. “Nós temos feito um trabalho de formiguinha em termos de IPTU, e acredito que 30% das edificações do município são ilegais, não tem projeto, não paga IPTU, não paga coleta de lixo, onerando quem está na legalidade. Acredito que a próxima administração vai ter que fazer esse recadastramento  imobiliário, que há mais de 15 anos não é feito, para fazer justiça tributária melhor em Erechim. O que vamos tentar aumentar não é o valor, mas a fiscalização para trazer para legalidade quem está ilegal, com isso aumentar nossa arrecadação sem castigar quem já vem pagando seus impostos em dia, alertou Tomazoni.

Sonegação

Hoje temos 50% de sonegação em termos de tributação municipal em Erechim. “O nosso foco é averiguar o cancelamento de Nota Fiscal de Serviço e cartões de créditos, já estamos cruzando esses dados, através de um convênio com o Estado e chamando esses contribuintes para orientação e fiscalização, desabafou o secretário Tomazoni.

 

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. ACEITO Leia mais