Alunos de Agronomia da URI têm treinamento sobre crédito rural

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

           Cinco profissionais especialistas do Banco Sicredi proporcionaram um treinamento online sobre crédito rural para os acadêmicos do Curso de Agronomia da URI. A iniciativa foi realizada durante a Semana Nacional da Educação Financeira onde foram abordados temas como consumo consciente, economia doméstica, melhor uso dos produtos financeiros, combate ao endividamento, planejamento financeiro e priorização de sonhos.

         Alecsander Bertolla, Gerente da Agência Erechim Santo Dal Bosco, falou da missão do Banco SICREDI: “Como sistema cooperativo, valorizamos o relacionamento, oferecendo soluções financeiras para agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos associados e da sociedade”. Comentou também sobre as áreas de atuação do SICREDI Uniestados e de que o grande propósito sistêmico do Banco é “construir juntos uma sociedade mais próspera”. Bertolla mencionou que “com a união de forças, é possível contribuir e construir”.

         Fabiano Noronha, Assessor do Agronegócio, mostrou números do cenário e perspectivas do setor, especialmente das cadeias da soja, milho, feijão, gado de corte, suínos, leite e avicultura. Ressaltou que o índice de confiança do agronegócio está em 111,7%, o que significa que os atores do “Agro” estão confiantes e aptos a investir e a buscar crescimento dentro das suas atividades. Enquanto o PIB brasileiro mostra uma contração de 5,77%, em 2020, o PIB do agronegócio cresceu 6,75% de janeiro a julho deste ano.

         Enquanto isso, a Assistente de Ciclo de Crédito, Raquel Pegorinni, tratou sobre o que é necessário para tomar crédito rural, as regras e normas que devem ser seguidas. Citou que a maioria dos recursos para o crédito rural são subsidiados pelo governo, sendo que algumas linhas são oferecidas com os próprios recursos da cooperativa. O Banco precisa seguir as normas do Manual de Crédito Rural que é gerido pelo Banco Central e que faz a gerência das operações contratadas em crédito rural. Raquel enalteceu a importância do Engenheiro Agrônomo como agente de assistência técnica, sendo responsável pela elaboração do plano ou projeto e a orientação técnica prestada diretamente ao produtor.

         Os beneficiários do crédito rural, explicou, são todos os produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) e cooperativas de produtores rurais.

         No que se relaciona ao enquadramento, há três possibilidades: o PRONAF, o PRONAMP e DEMAIS e cada um tem as suas regras de enquadramento, que é pela faixa de renda. Como exemplo, Raquel citou que para enquadrar um produtor no PRONAF ele tem que ter renda de até R$ 415.000,00 nos últimos 12 meses e no mínimo 50% da renda deve ser da atividade agro ou não agro do estabelecimento e possuir DAP que é a declaração de aptidão ao PRONAF. Frisou, ainda, que o crédito de custeio destina-se a cobrir um único ciclo produtivo da atividade agrícola e pecuária.

         Por outro lado, o Assistente de Ciclo de Crédito, Leonardo Kammler, ressaltou que o crédito para investimentos destina-se a aquisição de bens e serviços cujo uso se estenda por vários períodos de produção.

         Por fim, o Gerente de Negócios AGRO, Guilherme Mocellin Kaminski, falou da importância do relacionamento com o produtor e com os Engenheiros Agrônomos. Mencionou que é muito importante estar próximo e atender a necessidade dos clientes, ser um consultor financeiro para os produtores,  gerar a melhor experiência para disponibilizar os melhores produtos e serviços para o produtor rural.

         A atividade possibilitou com que os alunos do Curso de Agronomia conhecessem a importância do Engenheiro Agrônomo para a adequada disponibilidade de crédito ao produtor rural e também como atuar na execução de projetos de custeio e investimento para o Agronegócio.

 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.