Erechim registra um novo caso de HIV a cada 15 dias 

A cada 15 dias é diagnosticado um novo caso de HIV/Aids em Erechim. A faixa etária mais acometida é a dos jovens com idade entre 20 a 30 anos. Em 2017, até o momento, já são 21 casos, sendo 12 do sexo masculino. Normalmente, a contaminação para o diagnóstico que foi realizado nesta faixa de idade, ocorreu na adolescência deste paciente, ou seja, no início de sua atividade sexual. Por esta razão, uma das principais ações do Serviço de Assistência Especializada em Infecções Sexualmente Transmissíveis e Aids (SAE/IST/Aids), vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de Erechim, que é referência para o atendimento de HIV/Aids para os 33 municípios da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), é desenvolver ações com jovens, no sentido de orientar sobre a importância do uso do preservativo.  

O SAE atende hoje em torno de 400 pacientes de Erechim e região com HIV, prestando acompanhamento médico e de enfermagem, avaliação psicológica, atendimento com nutricionista e assistente social, realização de exames e entrega de medicação, os antirretrovirais.

Números em Erechim

Dados do SAE/IST/Aids apontam que, de 2011 a 2017 foram registrados 156 casos somente em Erechim, destes foram 87 registros de pessoas do sexo masculino. Até o momento, o ano de 2015 foi o recorde com 31 casos, a maioria também do sexo masculino, com 19 novos pacientes com HIV. O serviço atende pacientes gestantes com HIV/Aids e, em Erechim no período entre 2011 a 2017, foram contabilizadas 41 mulheres com a doença.  No mesmo intervalo de tempo, ocorreram óbitos, segundo os dados do departamento, foram 59.

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Erechim, Luciana Grendene, afirma que é importante destacar sobre a procedência do diagnóstico em Erechim. Em 2017, cinco pacientes descobriram ter HIV através de exames realizados em triagem pelo SUS por sorologia; oito casos também pelo SUS, porém através do teste rápido; quatro por triagem particular; três hospitalizados e um no Banco de Sangue.

O diagnóstico por faixa etária em Erechim, em 2017, mostra que são dois pacientes menores de 20 anos; seis com idade entre 21 a 30 anos; sete com 31 a 40 anos; três de 41 a 50 anos; dois de 51 a 60 anos; e um maior de 61 anos.       

Atendimento no SAE/IST/Aids

O Serviço de Assistência Especializada em Infecções Sexualmente Transmissíveis e Aids (SAE/IST/AIDS), vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de Erechim, que é referenciado pelo Ministério da Saúde para atender os 33 municípios da 11ª CRS, funciona de segunda a sexta-feira das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h.

As consultas são agendadas e os pacientes encaminhados das Unidades Básicas de Saúde e hospitais de Erechim e região. Apenas o serviço de enfermagem que recebe por demanda espontânea.  

Prevenção e qualidade de vida

A prevenção ao HIV/Aids acontece com o uso contínuo de preservativo que, segundo a enfermeira do SAE, Clarice Maroso, é distribuído gratuitamente nas UBSs. Em Erechim, por exemplo, as Unidades possuem dispensadores e ninguém precisa se identificar para retirar. A Secretaria Municipal de Saúde possui ainda parceria com empresas para que elas disponibilizem os preservativos aos seus funcionários que, muitas vezes, devido ao horário de trabalho não conseguem ir até às UBSs.   

As ações de prevenção são realizadas pelo serviço durante todo o ano com palestras nas escolas, empresas e instituições divulgando que a prevenção é a melhor forma de não adquirir o vírus. “Esse trabalho de divulgação visa incentivar uma mudança comportamental de atitude, para que as pessoas tenham a consciência de que a prevenção é o melhor remédio. Temos tratamento e acompanhamento, tudo está disponível, mas temos que lembrar que a prevenção é sempre a melhor opção, ” completa.

Programação no Dia D

No Dia Mundial de Luta contra a Aids, sexta-feira (1º), serão promovidas ações de orientação sobre prevenção em Erechim, na Esquina Democrática, das 8h às 12h, com divulgação sobre teste rápido para HIV e outras IST, distribuição de material informativo e preservativos.

A Secretaria Municipal de Saúde também promoveu ações durante o mês de novembro para marcar o Dia Mundial de Luta contra a Aids, definido internacionalmente como 1º de dezembro. O objetivo é contribuir para o aumento da informação e da percepção do risco de exposição ao HIV, mediante propostas de mudanças de comportamento do indivíduo e da comunidade. Para isso, é incentivado o uso de preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante, aconselhamento sobre HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), bem como à testagem através da realização de teste rápido para HIV e outras IST. As atividades têm como slogan ‘Aids: todos nós podemos ter. Prevenção todos nós podemos fazer’.

Durante todo o período da campanha, as equipes de Estratégia Saúde da Família e das UBSs do município também organizaram atividades com o objetivo de realizar ações de prevenção com a população nos territórios em que atuam.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.